Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

18 de julho de 2018

Como se usam os adjetivos em francês


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/adjetivos-fr




Continuando a sistematização do material do cursinho de francês que dei no programa TOPE da Unicamp, hoje dou uma breve introdução sobre os adjetivos em francês: como se usam, como se flexionam. Se você frequentou a escola há muito tempo e não fez nem letras nem história, não se preocupe! Vamos relembrar o que é e pra que serve um adjetivo. São palavras simples, como os substantivos, advérbios, verbos etc., mas que cumprem as seguintes funções, entre outras:

Complemento nominal: qualifica um substantivo, podendo em geral ser suprimido sem alterar o sentido da frase. Exs.: un immense désert (um imenso deserto), les enfants épuisés (as crianças esgotadas), sa fidèle monture (sua fiel montaria).

Predicativo do sujeito: vem após um verbo de ligação (copulativo), no mais das vezes o verbo être (ser), concordando em gênero e número com esse sujeito. Exs.: Les élèves sont fatigués (Os alunos estão cansados), Ma mère semble triste (Minha mãe parece triste), Cet homme reste sage (Este homem continua sábio).

____________________


O plural regular dos adjetivos, assim como dos substantivos, é feito pela simples adição de um “s” mudo: un grand garçon (um grande rapaz), des grands garçons (grandes rapazes); la voiture rapide (o carro rápido), les voitures rapides (os carros rápidos). Note como é o artigo que vai dar a marca/indicação do plural. Contudo, também como os substantivos, as formas de fazer o masculino plural (gráfico e/ou fonético) vão variar muito conforme a terminação da palavra.

Os adjetivos terminados em “-al” fazem o plural em “-aux”: un appartement royal (um apartamento real) → des appartements royaux (apartamentos reais). Exceções: bancal (coxo, manco, de pernas tortas), fatal, final, natal, naval e banal (mas banaux no sentido de “pertencentes a um senhor”). Estes adjetivos podem fazer das duas formas: austral, boréal, glacial, idéal e pascal.

Os adjetivos terminados em “-eau” adicionam um “x” mudo ao final: un beau bateau (um belo barco) → des beaux bateaux (belos barcos).

Os adjetivos terminados em “s” ou “x” permanecem invariáveis no plural: un homme heureux (um homem feliz) → des hommes heureux (homens felizes), un angle obtus (um ângulo obtuso), des angles obtus (ângulos obtusos).

Os adjetivos terminados em “-eu”, por regra, também tomam um “x” mudo no plural: un village hébreu (uma vila judaica) → des villages hébreux (vilas judaicas). Exceção: o adjetivo bleu (azul) faz com um “s”, mas, como todos os outros adjetivos de cores, é invariável se seguido de outro adjetivo: des pantalons bleus (calças azuis), des pantalons bleu clair (calças azul-claro).

____________________


O feminino regular dos adjetivos é feito pela simples adição de um “e” mudo, que pode ou não gerar modificações na pronúncia: un petit garçon (um pequeno menino), une petite fille (uma pequena menina) → o “t” final passa a ser pronunciado; un mauvais devoir (uma lição mal feita), une mauvaise note (uma nota ruim) → o “s” final passa a ser pronunciado, mas como “z”; un ministre espagnol (um ministro espanhol), une ministre espagnole (uma ministra espanhola) → apenas o “une” indica que se trata de feminino. Se o adjetivo já termina em “e”, a forma é a mesma para os dois gêneros: triste, rapide (rápido/a), célèbre (célebre, famoso/a), fantastique. Contudo, a regra da adição do “e” gera alterações ortográficas, quando não de pronúncia, nas mais diversas terminações.

Os adjetivos terminados em “-gu” adicionam um trema ao “u” final, para que ele não se torne mudo, como na palavra langue (na regra antiga, era o “e” que levava o trema): un mot ambigu (uma palavra ambígua), une réponse ambigüe (uma resposta ambígua; ant. “une réponse ambiguë”).

Os adjetivos terminados em “-er”, “-ier” ou “-iet” adicionam um acento grave ao “e”, mudando seu timbre de fechado para aberto: un produit étranger (um produto estrangeiro), une dame étrangère (uma senhora estrangeira); un mois printanier (um mês de primavera), une journée printanière (um dia de primavera); un homme inquiet (um homem inquieto), une femme inquiète (uma mulher inquieta).

Os adjetivos terminados em “-ul”, “-el”, “-eil” ou “-iel” dobram o “l” final, sem mudanças na pronúncia: un résultat nul (um resultado nulo), une plaisanterie nulle (uma brincadeira nula); un acte individuel (um ato individual), une action individuelle (uma ação individual); un vieil homme (um velho homem), une vieille femme (uma velha mulher); un document officiel (um documento oficial), une demande officielle (um pedido oficial).

Os adjetivos terminados em “-ien”, “-en” ou “-on” dobram o “n” final, com desnasalação do som vocálico final e pronúncia do “n” final: un touriste californien (um turista californiano) → une touriste californienne (uma turista californiana); un village vendéen (uma aldeia da Vendeia), une maison vendéenne (uma casa da Vendeia); un bon dessert (uma boa sobremesa), une bonne glace (um bom sorvete). Exceções: o adjetivo lapon (lapão, da Lapônia) não dobra seu “n”, e no adjetivo nippon (nipônico, japonês) a mudança é opcional, mas nos dois casos há a mesma alteração referida na pronúncia: un village lapon (uma aldeia lapona), une ville lapone (uma cidade lapona); un groupe nippon (um grupo nipônico), l’économie nipon(n)e (a economia japonesa).

Os adjetivos chou (fofo, bonito) e chouchou (queridinho) têm as respectivas formas femininas choute e chouchoute: Leur fils est chou (O filho deles é fofo) → Leur fille est choute (A filha deles é fofa), l’acteur chouchou des ados (o ator queridinho das adolescentes) → l’actrice chouchoute des ados (a atriz queridinha dos adolescentes).

Os adjetivos flou (vago, fluido) e tabou (tabu), e os findos em “-ou” que qualificam pessoas ou coisas originárias de uma região, fazem o feminino com um “e” mudo: un souvenir flou (uma lembrança vaga), une image floue (uma imagem vaga); un sujet tabou (um assunto tabu), une affaire taboue (uma questão tabu); amis hindous (amigos hindus), amies hindoues (amigas hindus); un chant zoulou (um canto zulu), la langue zouloue (a língua zulu). Exceção: o feminino de andalou (andaluz) é andalouse (andaluza): le peuple andalou (o povo andaluz), la région andalouse (a região andaluza, a Andaluzia).

A maior parte dos adjetivos terminados em “-eur” forma seu feminino em “-euse”: rêveur (sonhador, imaginativo) → rêveuse (sonhadora, imaginativa), songeur (sonhador, absorto em pensamentos) → songeuse (sonhadora, absorta em pensamentos). Exceções: certos adjetivos terminados num “-eur” derivado do antigo sufixo comparativo latino “-ior” (“-or” em português) não mudam o “r” em “s”: antérieur, extérieur, inférieur, intérieur, majeur, meilleur, mineur, postérieur, supérieur, ultérieur (anterior, exterior, inferior, interior, maior, melhor, menor, posterior, superior, ulterior). Em latim, o sufixo “-ior” era o mesmo para o masculino e o feminino, por isso, como podemos ver, esses adjetivos são de dois gêneros em português (salvo exceções como “madre superiora”).

Os adjetivos terminados em “-teur” fazem o feminino de variadas formas, conforme a etimologia da palavra (leia aqui mais detalhes em francês): dévastateur (devastador) → dévastatrice (devastadora), sauteur (saltador, que salta) → sauteuse (saltadora, que salta), libérateur (libertador) → libératrice (libertadora), enchanteur (encantador)/désenchanteur (desencantador, que desilude; palavra rara) → enchanteresse/désenchanteresse.

Os adjetivos terminados em “-ot” podem ou não dobrar o “t” (é questão de decorar), com o mesmo efeito na pronúncia: 1) jeunot (jovenzinho) → jeunotte (jovenzinha), pâlot (um pouco pálido) → pâlotte (um pouco pálida), vieillot (envelhecido, ultrapassado) → vieillotte (envelhecida, ultrapassada), sot (bobo, tonto) → sotte (boba, tonta); 2) bigot (beato, carola) → bigote (beata, carola), dévot (devoto) → dévote (devota), fiérot (soberbo) → fiérote (soberba), idiot (idiota, m.) → idiote (idiota, f.), manchot (maneta ou desastrado) → manchote (maneta ou desastrada), petiot (pequenino) → petiote (pequenina), poivrot (beberrão) → poivrote (beberrona). Chérot/chérots (pop. “de preço elevado”) serve aos dois gêneros.

Os adjetivos terminados em “x” trocam-no por “-se”: un homme jaloux (um homem invejoso/ciumento), une femme jalouse (uma mulher invejosa/ciumenta). Exceções: faux (falso) → fausse (falsa), roux (ruivo) → rousse (ruiva), doux (doce, lento) → douce (doce, lenta).

Os adjetivos terminados em “c” substituem essa letra por “-cque” ou, mais comum, “-che”: grec (grego) → grecque (grega), sec (seco) → sèche (seca; cf. acento grave), blanc (branco; “c” mudo) → blanche (branca). Exceções: turc (turco) → turque (turca), franc (franco) → franque (relativa ao povo franco) ou franche (sincera).

Os adjetivos terminados em “f” (pronunciado) substituem essa letra pela sílaba “-ve”: sportif (esportivo) → sportive (esportiva), neuf (novo) → neuve (nova), juif (judeu, judaico) → juive (judia, judaica).

____________________


Cinco adjetivos masculinos, quando colocados antes de vogal ou “h” mudo, mudam para uma forma cuja pronúncia é idêntica à do feminino:
  • un beau garçon (um belo/bonito rapaz), un bel ami (um belo/bonito amigo), une belle fille (uma bela/bonita menina).
  • un nouveau cours (um novo curso), un nouvel étage (um novo andar), une nouvelle vague (uma nova onda).
  • un vieux voisin (um velho vizinho), un vieil élève (um velho aluno), une vieille voiture (um velho carro).
  • un fou sentiment (um louco sentimento), un fol amour (um louco amor), une folle jeunesse (uma louca juventude).
  • mou > mol > molle.

____________________


Embora a maioria dos adjetivos fique após o substantivo que qualificam, alguns adjetivos curtos ou mais antigos na língua vão antes, entre os quais beau (bom), bon (bom), court (curto), gentil (gentil; o “l” é mudo, exceto no feminino gentille), grand (grande, alto), gros (gordo), haut (alto), jeune (jovem), joli (bonito, lindo), long (longo, comprido), mauvais (mau, ruim), petit (pequeno) e vieux (velho).

Outros adjetivos mudam de significado (para um correlato ou distinto) se são colocados antes (número 1) ou depois (número 2) do substantivo a que modificam: ancien (1. antigo, anterior; 2. antigo, velho), brave (1. bom, fiel; 2. valente, corajoso), certain (1. certo, algum; 2. certo, indubitável), cher (1. caro, querido; 2. custoso, dispendioso), dernier (1. último, final; 2. último, passado/anterior), grand (1. uma pessoa nobre, valorosa, famosa; 2. grande, alto), même (1. o mesmo, idêntico; 2. mesmo, o próprio), pauvre (1. pobre, infeliz, azarado; 2. pobre, sem dinheiro), propre (1. próprio, da pessoa mesma; 2. limpo, asseado), seul (1. único, apenas/somente = ex. “apenas os amigos”; 2. só, sozinho, solitário), simple (1. simples, mero, insignificante; 2. simples, humilde, descomplicado), vrai (1. real, efetivo, confirmado; 2. verdadeiro, verídico, fatual).