Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

28 de março de 2018

“Pesem o svobodi” (canção partisan)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/svobodi


Mais uma linda e emocionante canção partisan composta nos tempos da resistência antifascista durante a 2.ª Guerra Mundial. Escrita em esloveno, ela se chama Pesem o svobodi, literalmente Canção sobre a liberdade, mas que traduzi livremente por Canto à liberdade. Como toda canção popular eslovena referente à guerrilha comunista, ela deve datar da primeira metade dos anos 40 e não ter um autor conhecido. Porém, faz parte do amplo repertório do ainda famoso PPZ, o Partizanski pevski zbor (Coral Partisan), de Ljubljana.

Tendo baixado o áudio original deste vídeo, eu mesmo traduzi direto do esloveno, montei o vídeo e legendei, com imagens de época e com a bandeira da Eslovênia quando ela era uma república integrante da antiga Iugoslávia federativa. É incrível como nesse país a cultura partisan ainda faz parte do folclore local, sem que ninguém se sinta constrangido com isso. Talvez se deva aos fatos da mãe do Marechal Tito ser eslovena e da antiga república ter desfrutado de relativa autonomia e abastança dentro do conjunto nacional. A língua eslovena é um tanto diferente da servo-croata, o que dificulta, com a carência de material, uma tradução fluente. Mas os pontos em comum também são um perfeito ponto de partida.

Tenho a impressão que nem sempre a letra bate com o áudio, mas talvez sejam discrepâncias bem mínimas, que não tive tempo de verificar, mas que não afetam o conjunto. Não fiz uma tradução totalmente literal, mas nem por isso o sentido geral se perdeu. Até porque a própria linguagem do original é bem poética, portanto insubmissa ao padrão culto. Nesta página pode ser lida a letra eslovena, junto com outro belo áudio. Vejam minha montagem duas vezes, lendo uma legenda de cada vez! Ela segue abaixo, hospedada no meu canal Eslavo (YouTube), e depois tem a letra em esloveno e a tradução em português:


____________________


2x:
Zdaj zaori, pesem o svobodi,
Preko logov in gozdov,
Po vsem svetu zaplovi
Do vseh slovenskih tlačenih domov.

2x:
Da svoboda je zas’jala,
Naš sovražnik je že strt,
Ti slovenska domovina,
Zdaj pot k svobodi je odprt.

Prosta si spet okov, domovina tlačena.
Mati Slovenija, tvoji smo sinovi,
Naše je življenje tvoje, ko pozoveš nas.
Mati Slovenija, strti so okovi,
Mi pripravljeni stojimo slednji čas.

Dokler boj ni končan, zanjo v boj, vsi v boj!
Vsi v borbo za svobodo za novo Jugoslavijo!
Dokler boj ni končan, zanjo v boj, vsi v boj!
Večno naj živi svoboda in nova Jugoslavija!

____________________


2x:
Entre agora, canto à liberdade,
Por entre bosques e florestas,
Navegue pelo mundo inteiro
Até todo lar esloveno oprimido.

2x:
A liberdade já irradiou,
Nosso inimigo já falhou,
E você, pátria eslovena,
Tem via aberta à liberdade.

De novo está sem grilhões, pátria oprimida.
Mãe Eslovênia, somos seus filhos,
Nossa vida é sua, se você convocar.
Mãe Eslovênia, os grilhões caíram,
Estamos prontos a morrer lutando.

Enquanto a guerra não acaba, todos à luta!
Lutar por ela, uma livre e nova Iugoslávia!
Enquanto a guerra não acaba, todos à luta!
Para sempre viver a livre e nova Iugoslávia!




25 de março de 2018

Полетарац (cartoon iugoslavo de 1980)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/poletarac



Esta é a abertura, que achei por acaso, de um antigo programa infantil iugoslavo, gravado em servo-croata e exibido na primeira metade de 1980, época da morte do Marechal Tito. Ele se chamava “Полетарац” (Poletarac), palavra que se traduz em inglês por fledgling, mas não tem equivalente em português. Designa ao mesmo tempo um filhote de pássaro que está aprendendo a voar e um iniciante em alguma atividade humana, sendo que em servo-croata nota-se a raiz leti (voar) e o prefixo “po-”, que indica, como em russo, o início de uma ação, a tomada de uma atitude. A primeira emissão na TV Belgrado foi em 6 de fevereiro, e a última em 9 de abril (ao todo, 10 episódios semanais).

Esse programa foi um dos que permaneceu na memória nostálgica iugoslava, e era muito peculiar por se propor a mostrar às crianças os conceitos básicos sobre a vida, o mundo e relacionamentos por meio de canções, piadas ou historinhas, um pouco no estilo Teletubbies. Também havia quadros ensinando números, ensinando como ler horas e desenhar animais. Baseado num antigo folhetim infantil também chamado Poletarac, editado por Dušan Radović e que parou de sair em 1975, nele participavam muitos artistas e esportistas famosos à época. Foi produzido por Mila Stanojević Byford e pelo inglês Timothy John Byford, que viveu muitos anos em Belgrado até morrer de câncer, em 2014, após ter produzido outros célebres desenhos infantis sérvios.

Muitas bandas e cantores famosos ajudaram a musicalizar Poletarac com suas vozes e canções. Um dos grupos era Laboratorija Zvuka, atuante de 1977 a 1996 e muito conhecido na Iugoslávia e na Sérvia por suas experiências inusitadas com o rock. Eles compuseram e gravaram esta trilha de abertura. Como o título da série é intraduzível, eu troquei nas legendas por “Alçar voo”, que alude à ideia de bater asas e começar algo. Também é intraduzível o jogo fonético feito com a palavra Poletarac (não confundam com “proletário”!): a primeira palavra de cada verso começa com uma das letras que compõem a palavra, sendo que no vídeo só traduzi as palavras iniciais, não tentei reconstruir o jogo (C = TS). A letra em geral parece igualmente não fazer sentido, mas embora haja de fato algumas alusões a crianças, iniciantes etc., o mais importante eram as rimas e a repetição de sons.

Eu fiz com dois trechos disponíveis no YouTube: um postado isolado, com qualidade um pouco menor, mas de cor mais forte, e outro recortado de um dos episódios completos, no caso o sétimo. Há várias outras aberturas de séries infantis iugoslavas nesta postagem de blog (“Quando eu era criança”), com as letras transcritas em cirílico. Só na Wikipédia sérvia pude achar informações detalhadas sobre Poletarac, mas esta reportagem fala sobre o diretor inglês, falecido aos 73 anos.

Eu mesmo traduzi mais ou menos literalmente, legendei e coloquei as duas versões lado a lado. Seguem abaixo a legendagem que postei no meu canal Eslavo (YouTube), a letra em servo-croata nos alfabetos latino e cirílico e a tradução em português:



P – Ptica leti preko sveta, cveće cveta. Poletarac.
O – Oblak leti preko neba, biće leba. Poletarac.
L – Lopta leti preko polja, zuji zolja. Poletarac.
E – Eho leti preko klanca, glas neznanca. Poletarac.
T – Torta leti preko stola, slatka škola. Poletarac.
A – Avion leti iznad glava, neko spava. Poletarac.
R – Roda leti iznad krova, deca nova. Poletarac.
A – Akrobata leti snažno, vrlo važno. Poletarac.
C – Cela zemlja leti, leti a i zimi kad se seti.
Crep, cipela, cucla, car, POLETARAC prava stvar!

П – Птица лети преко света, цвеће цвета, полетарац.
О – Облак лети преко неба, биће леба, полетарац.
Л – Лопта лети преко поља, зуји зоља, полетарац.
Е – Ехо лети преко кланца, глас незнанца, полетарац.
Т – Торта лети преко стола, слатка школа, полетарац.
А – Авион лети изнад глава, неко спава, полетарац.
Р – Рода лети изнад крова, деца нова, полетарац.
А – Акробата лети снажно, врло важно, полетарац.
Ц – Цела земља лети лети, а и зими кад се сети.
Цреп, ципела, цуцла, цар, ПОЛЕТАРАЦ права ствар!

O pássaro voa pelo mundo, flores abrem. Alçar voo!
A nuvem voa pelo céu, pão fresquinho. Alçar voo!
A bola voa pelo campo, a vespa zumbe. Alçar voo!
O eco voa pelo penhasco, voz anônima. Alçar voo!
O bolo voa pela mesa, a escola é doce. Alçar voo!
O avião voa sobre as cabeças, alguém dorme. Alçar voo!
A cegonha voa sobre a casa, filhos novos. Alçar voo!
O acrobata voa robusto, muito solene. Alçar voo!
O país todo voa, voa, até no inverno, se lembrar.
Telha, sapato, chupeta, tsar, ALÇAR VOO à realidade!



Daquele mesmo sétimo episódio, exibido em 19 de março de 1980, separei esse pequeno excerto que achei por acaso, começando aos 15 min 55 seg, no qual enxerguei um potencial meme chamado “Quem é o mais jovem habitante da Iugoslávia?”. Infelizmente não viralizou na época em que postei, mas ele faz pensar no que diriam os coxinhas a respeito: “Era o marxismo cultural apresentando essas obscenidades às crianças!!!”. Mas podemos ver também por um lado não erotizado, que é a proposta do programa: a maldade está nos olhos de quem vê.

O texto das falas nos alfabetos latino e cirílico é o seguinte:

- Da li znaš, ko je najmlađi stanovnik Socijalističke Federativne Republike Jugoslavije? A?
- To je najmlađi stanovnik Socijalističke Federativne Republike Jugoslavije.

- Да ли знаш, ко је најмлађи становник Социјалистичке Федеративне Републике Југославије? А?
- То је најмлађи становник Социјалистичке Федеративне Републике Југославије.

21 de março de 2018

“Zemljo moja” (canção iugoslava, 1975)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/zemljomoja



Esta é uma linda canção patriótica cantada em servo-croata, dos tempos da antiga Iugoslávia, país dissolvido em 1991. Ela se chama Zemljo moja (Ó, terra minha), em alfabeto cirílico “Земљо моја”, e foi gravada pela primeira vez num álbum compacto de mesmo nome em 1975 pela banda bósnia Ambasadori, tendo como vocalista Ismeta Krvavac. Seu compositor foi Kemal Monteno, e a faixa 2 do disco se chamava Budi s njom (Esteja com ela), tendo sido Zemljo moja tocada em público pela primeira vez em 1975 mesmo, no famoso festival “Vaš šlager sezone” que até hoje ocorre em Sarajevo. Eu legendei também uma versão em solo cantada por Ismeta Dervoz (“Krvavac” era seu sobrenome quando era casada) em 19 de janeiro de 2016, num show em memória a Kemal Monteno.

A banda Ambasadori existiu de 1968 a 1980 e apresentou diversas formações, chegando inclusive a abrigar o famoso cantor iugoslavo Zdravko Čolić. Ismeta Dervoz-Krvavac (n. 1954) trabalhou muitos anos como cantora, produtora e apresentadora, mas atualmente vive em Sarajevo, servindo ao poder legislativo. O cantor e compositor Kemal Monteno (1948-2015) também era bósnio e levou sua carreira dos anos 60 até morrer de pneumonia e sepse. O estilo de Zemljo moja, com letra patriótica, era muito comum nos países socialistas europeus após 1945, e por isso era uma das preferidas do marechal Tito, que governou a Iugoslávia desse ano até 1980. Ele chegava até a mandar tocar em vários eventos e recepções oficiais que promovia. Zemljo moja atualmente não é mais tão popular e conhecida quanto antes, mas se tornou parte da cultura chamada localmente de “iugonostalgia”.

Tem até um momento “Canção do exílio” na segunda parte da música: “Não gorjeiam como lá, nosso céu tem mais estrelas, nossos bosques têm mais vida”. É incrível como Ismeta Krvavac tem a voz muito parecida com a da cantora sertaneja Jayne, que fez sucesso nos anos 90: vejam este exemplo de música. Além disso, no segundo vídeo que legendei, ela está a cara da Gina, que aparece nas caixas de palito, não? Neste, infelizmente só percebi depois que escrevi errado “Izmeta” nas legendas, quando deveria ter grafado “Ismeta” com “s”. Entre várias cantoras e cantores, a letra varia levemente, e mesmo Dervoz canta na primeira gravação ovdje (aqui, neste lugar), e na segunda nigdje (em nenhum lugar), no sentido de “Em nenhum lugar as noites são tão azuis” etc. Achei estranho apenas que nas duas versões, ela canta zlatna klas (espiga dourada), quando deveria ser zlatni klas, porque klas é masculino.

Outra versão que decidi legendar por ter achado muito fofinha é a da garota sérvia Darija Vračević, que no vídeo está participando do programa Pinkove zvezdice, literalmente “Estrelinhas do Pink”, ou seja, a versão sérvia do The Voice Kids. O vídeo sem legendas foi publicado no canal do próprio programa em 13 de maio de 2016, certamente no mesmo dia da apresentação. O Pinkove zvezdice é a versão infantil do programa Pinkove zvezde, literalmente “Estrelas do Pink”, também a versão local do The Voice. Entre as temporadas de 2014-15, 2015-16, 2016-17 e 2017-18, Darija atuou na segunda e chegou à superfinal, tendo vencido na ocasião o garoto Marko Bošnjak. Darija tinha então 8 anos e uma voz muito potente, e a família lhe assistia do camarim. Ambos os programas pertencem à Radio Television Pink (RTV Pink), também chamada TV Pink ou só Pink, o maior canal de entretenimento da Sérvia que transmite a cabo desde 1994.

Há uma notável diferença em relação ao The Voice Kids transmitido pela TV Globo no Brasil: lá, o júri de 5 artistas não gira em direção ao palco, mas sobe a partir do nível do chão. Podemos ver também a onipresença das propagandas, em especial dos biscoitos (keks) Vitanova: com mel ou integral, gostoso e sem igual! Vejam também que todos parecem de alguma forma se emocionar com a canção, embora eu não tenha visto o que se passou depois. Isso mostra que, mesmo sendo dos tempos comunistas, ou até porque não tem referências ideológicas, muitos ainda gostam da letra. A própria mãe, quando é indagada sobre quem ajudou a escolher a música, afirma que foi ela mesma, porque gostava muito e achava importante ver a filha a cantando. Será que o pessoal do vídeo, mesmo parecendo abastado, tem alguma saudadinha daqueles tempos?

Eu mesmo traduzi a letra direto do servo-croata, legendei os três vídeos e, no caso do primeiro, também montei com fotos em sucessão de Belgrado, Zagreb, Sarajevo, Ljubljana e a bandeira da antiga Iugoslávia. Vejam este vídeo duas vezes, lendo primeiro a legenda servo-croata e depois a brasileira! Eu tirei o áudio desta montagem, que tem várias imagens do território da antiga Iugolsávia. Eu copiei a letra da Wikipédia em servo-croata, mas pra acertar palavras e pontuação cotejei também com esta transcrição. Na sua versão, Darija canta u tom klasu (nesse trigo/espiga), e não u tvom klasju (no seu trigo), mas nenhuma divergência afeta o sentido unitário da canção. Pra conforto de vocês, a primeira legendagem em servo-croata está em alfabeto latino. Então, após os três vídeos que estão no meu canal Eslavo (YouTube), seguem abaixo também a letra em cirílico e a tradução em português. As estrofes e versos variantes estão entre colchetes, bem como escritos ainda em alfabeto latino (itálico):






____________________


1. Видим поља што се житом злате
И на бријегу видим родни дом.
Сваког трена мислим на те,
Земљо моја, земљо моја!

А у пољу моја душа спава,
Усред жита, као златна клас.
Постеља јој мека трава.
Земља моја, земља моја!

Рефрен:
И док ја нисам ту
Покрај ње, да скупа предамо се сну,
Сваку ноћ чујем глас,
Који зове: “Дођи, срећа чека нас!”

2. Овдје ноћи нису тако плаве,
Овдје сунце нема такав сјај,
Овдје нису такве траве,
Земљо моја, земљо моја!

[Нигдје ноћи нису тако плаве,
Нигдје сунце нема такав сјај,
Нигдје нису такве траве,
Земљо моја, земљо моја!]

У твом класју нек ми љубав спава,
[У том класу нек ми љубав спава,]
Нек ме чека, ја ћу брзо доћ’,
Нек је љуби твоја трава,
Земљо моја, земљо моја!

2. Ovdje noći nisu tako plave,
Ovdje sunce nema takav sjaj,
Ovdje nisu takve trave,
Zemljo moja, zemljo moja!

[Nigdje noći nisu tako plave,
Nigdje sunce nema takav sjaj,
Nigdje nisu takve trave,
Zemljo moja, zemljo moja!]

U tvom klasju nek mi ljubav spava,
[U tom klasu nek mi ljubav spava,]
Nek me čeka, ja ću brzo doć’,
Nek je ljubi tvoja trava
Zemljo moja, zemljo moja!

(Рефрен 2x)

____________________


1. Vejo campos cujo trigo brilha,
Na colina vejo a casa paterna.
O tempo todo penso em você,
Terra minha, terra minha!

No campo minha alma dorme,
Como espiga de ouro no trigal.
Para ela a relva macia é cama,
Terra minha, terra minha!

Refrão:
Quando não estou aí
Com ela, nos encontramos em sonho,
Toda noite ouço chamar
A voz: “Venha, a alegria nos espera!”

2. Aqui a noite não é tão azul,
Aqui o Sol não brilha tanto,
Aqui não há a mesma grama,
Ó, terra minha, terra minha!

[Não existe noite mais azul,
Não há onde o Sol raie mais,
Não existe grama parecida,
Ó, terra minha, terra minha!]

Que seu trigo nine meu amor,
[Que esse trigo nine meu amor,]
Que me espere, eu logo virei,
Que sua relva ame meu amor,
Terra minha, terra minha!

(Refrão 2x)




18 de março de 2018

Putin chama o povo para votar em 2018


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/eleicao-russa2018


Neste discurso feito e lançado em 15 de março de 2018, o presidente da Rússia Vladimir Putin convoca ao voto nas eleições presidenciais que estão ocorrendo neste domingo, dia 18. Ele faz isso porque na Rússia o voto não é obrigatório, portanto Putin teme que esse pleito seja marcado pela indiferença e indisposição políticas. Na verdade, o povo está bastante insatisfeito com algumas políticas recentes, como o congelamento de gastos sociais, a deterioração dos serviços públicos e as exorbitantes despesas militares. E Putin é novamente um dos candidatos, de forma que sua vitória o levaria a iniciar um quarto mandato, além dos dois de quatro anos, cumpridos de 2000 a 2008, e do atual de seis anos, iniciado em 2012. Seu atual primeiro-ministro, Dmitri Medvedev, tinha sido presidente de 2008 a 2012 (quando o próprio Putin foi premiê), e após algumas reformas constitucionais, o mandato presidencial foi ampliado pra seis anos e permitiu-se uma reeleição. Assim, se Putin vencer, ele poderá ficar até 2024.

Ao contrário dos EUA e de muitos países europeus, a eleição pra presidente da Rússia é direta e se dá em dois turnos, se necessário. Segundo as últimas pesquisas, Putin tem uma ampla vantagem sobre o candidato do Partido Comunista (KPRF), Pavel Grudinin, podendo ganhar com folga no primeiro turno. Os outros candidatos, na ordem de preferência, são Vladimir Zhirinovski, Sergei Baburin, Grigori Iavlinski, Boris Titov, Ksenia Sobchak e, pelo stalinista Comunistas da Rússia fundado em 2012, Maksim Suraikin. Aleksei Navalny, um dos principais opositores de Putin, teve sua candidatura barrada em 2017, e Putin mesmo concorre como independente, mas apoiado pela Frente Popular de Toda a Rússia, à qual pertence o partido Rússia Unida, do qual ele já foi líder. Contudo, como Putin controla quase toda a mídia, o judiciário e a polícia, a concorrência é vista como mera formalidade, disfarçando sua incontestável manutenção no poder.

Não é à toa que Putin não precisou participar nem mandar suplentes a nenhum dos debates presidenciais promovidos por diversos canais de TV. O pleito de 2018 ocorre num tenso e inusitado cenário nacional e internacional. A bonança promovida nos anos 2000 e início dos 2010 por meio do alto preço do petróleo começou a desgastar-se, e as recentes sanções econômicas impostas pelo Ocidente por motivos políticos estão sufocando os mercados da Rússia. Além disso, os gastos militares subiram consideravelmente com a ajuda velada aos rebelados do Donbass ucraniano, a incorporação da Crimeia e a intervenção na guerra civil da Síria. Muitos russos consideram que a saúde, o ensino, a pesquisa e outros serviços públicos têm se deteriorado, revivendo assim mais uma onda de nostalgia pela antiga URSS. Mesmo assim, no geral Putin segue sendo um líder muito aprovado e, no exterior, respeitado pela firmeza, sinceridade e ímpeto.

Vladimir Putin chama o povo a votar, porque o voto não é obrigatório. Mesmo que ele leve de bandeja, uma alta abstenção poderia ser mal vista como um sinal de desgaste do regime. Desgaste que, aliás, é visível em muitos outros países, sobretudo no Brasil, colocando urgentemente na agenda o repensar do modelo eleitoral pra expressão da vontade popular. O vídeo sem legendas pertence ao canal RT, e eu o tirei da própria conta YouTube deles, tendo apenas legendado e cortado o quadro. Eu tirei o texto em russo desta matéria da TV Tsentr, que anuncia o breve discurso. Eu mesmo traduzi direto do russo, e seguem abaixo a legendagem, que postei no canal Eslavo (YouTube), a tradução em português e o texto original (a paragrafação é minha):


____________________


Caros cidadãos da Rússia, queridos amigos.

No próximo domingo, 18 de março, ocorrerão eleições para presidente da Rússia. Como atual chefe de Estado, julgo importante dirigir-me a vocês às vésperas da votação.

Segundo a Constituição de nosso país, o poder emana unicamente do povo. As palavras dessa fórmula jurídica têm um enorme significado. É da vontade popular, de cada cidadão da Rússia, que depende o rumo a ser tomado por nosso país, que depende o futuro da Nação e de nossas crianças.

Em quem votar, como concretizar seu direito à livre escolha, é uma decisão pessoal de cada um. Mas renunciar a essa decisão significa deixar que essa tão determinante escolha ignore sua opinião.

Na Rússia, nós mesmos sempre decidimos nosso destino, agimos tal como nos ordenavam a consciência, nossa compreensão da verdade e da justiça e o amor pela Pátria. Traço de nosso caráter nacional, o mundo todo sabe disso.

Confio em que todos pensamos e nos preocupamos com o destino da terra natal, e por isso me dirijo a vocês pedindo que vão no domingo às seções eleitorais. Aproveitem seu direito de escolher o futuro da grande Rússia que amamos!

____________________


Уважаемые граждане России, дорогие друзья.

В ближайшее воскресенье, 18 марта, состоятся выборы президента России. Как действующий глава государства, считаю важным обратиться к вам накануне голосования.

По Конституции нашей страны единственным источником власти является народ. В этих словах, в этой правовой формуле огромный смысл. Именно от воли народа, от воли каждого гражданина России зависит, по какому пути пойдет наша страна, зависит будущее России и наших детей.

За кого проголосовать, как реализовать свое право на свободный выбор — это личное решение каждого человека. Но если уклониться от такого решения, тогда этот ключевой определяющий выбор будет сделан без учета вашего мнения.

Мы в России всегда сами решали свою судьбу, поступали так, как велела нам наша совесть, понимание правды и справедливости, наша любовь к Отечеству. Это в нашем национальном характере, о котором знает весь мир.

Уверен, каждый из нас думает и переживает о судьбе родной страны. И потому обращаюсь к Вам с просьбой прийти в воскресенье на избирательные участки. Воспользуйтесь своим правом выбрать будущее для великой любимой нами России!



14 de março de 2018

Suicídio ao vivo do repórter Risto Đogo


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/ristodogo



Material muito instigante e raro, que achei bem por acaso ao pesquisar vídeos sobre a antiga Iugoslávia. Trata-se do repórter televisivo Risto Đogo, que ao apresentar o noticiário da TV bósnia em língua sérvia no dia 4 de maio de 1993, simulou um suicídio, como mais uma de suas gracinhas que fazia costumeiramente. Ele era conhecido na Bósnia e Herzegóvina por ter tomado partido, durante a guerra civil, dos sérvios ortodoxos que lutavam pra que o novo país não fosse reconhecido e por lançar todo dia diatribes e piadas maldosas contra os muçulmanos da região. Eu baixei o vídeo sem legendas deste canal, que parece ter parado de se atualizar há sete anos.

Apenas a tentativa de achar uma transcrição do pequeno texto me levou a uma pesquisa com muitos resultados. O vídeo está legendado em inglês, mas não confiei muito nessa tradução. A referência é ao plano de paz dito “Vance-Owen”, articulado a partir de janeiro de 1993 por Cyrus Vance, enviado especial da ONU, e David Owen, que representava a Comunidade Europeia, com os líderes das facções em luta na Bósnia. A guerra civil tinha começado em abril de 1992, e em janeiro tinha sido autoproclamada a República Sérvia (de maioria sérvia ortodoxa), cujo presidente era Radovan Karadžić (não confundir com a atual República da Sérvia, país vizinho). O líder assinou o plano em 30 de abril de 1993, mas a Assembleia Nacional (parlamento) da região o rejeitou em 6 de maio, e um criticado referendo o enterraria com 96% dos votos. O plano propunha a divisão da Bósnia em 10 cantões, tentando manter possível uma Bósnia-Herzegóvina unida e mista, mas ele nascia obsoleto, dado que a limpeza étnica e o racha da Bósnia e Herzegóvina já tinham ocorrido.

É a esse plano Vance-Owen que Đogo se refere. Como ele disse, em dois dias o Parlamento local daria a palavra final, e foi pela rejeição. O repórter se tornou mais amplamente conhecido por sua cobertura da guerra civil na Bósnia, num período que foi breve e, por isso, até mesmo artigo sobre ele na Wikipédia só existe na versão sérvia. Ele nasceu em 12 de fevereiro de 1956 na localidade de Kalinovik e se mudou com os pais em 1958 pra Sarajevo, onde fez os estudos básicos e se formou jornalista em 1979. Enquanto subia na carreira, casou-se em 1983 com a economista Gordana Dragaš, com quem teve dois filhos, e em abril de 1992 foi um dos fundadores, no território sérvio da Bósnia, da Srpska radio-televizija, hoje Televizija Republike Srpske (Televisão da República Sérvia). Ao mesmo tempo em que fazia as vezes de repórter de guerra, apresentava um popular Dnevnik (Jornal), no qual ridicularizava a guerra, os bósnios (muçulmanos) e até mesmo o regime iugoslavo de Slobodan Milošević. Seu estilo abertamente preconceituoso deu-lhe popularidade entre os sérvios, mas atraiu o ódio de croatas e muçulmanos.

Sua morte misteriosa, em 12 de setembro de 1994, quando seu corpo foi encontrado na represa de Zvornik, banhada pelo célebre rio Drina, parece a confluência de toda essa polêmica. O corpo não estava com marcas de tiro ou agressão, portanto falou-se num acidente, mas não foi descartado o assassinato por muçulmanos ou por simpatizantes de Milošević. Tive por longos anos no Facebook uma amizade com uma jovem bósnia sérvia de Zvornik, que cursou direito em Belgrado, e o rio Drina, que delimita a fronteira entre Bósnia e Sérvia (esta, o país desde 2006 mesmo), é muito simbólico pra cultura sérvia. O que se convenciona chamar de “servo-croata” ou “BCS” (bósnio-croata-sérvio) é um espectro de dialetos falados por sérvios (ortodoxos), croatas (católicos) e bósnios (muçulmanos), bem como montenegrinos, cada um chamando a língua com seu nome.

A religião foi a motivação real pra guerra: o “sérvio” de Đogo, por exemplo, tem uma característica compartilhada com o “croata” e com a língua “bósnia” padrão, mas não com o “sérvio” de Belgrado, que é o uso de “ije”, e não “e”, no lugar da vogal histórica iat do eslavo antigo. Assim, embora mal se perceba no fim, ele fala riječ (voto, discurso), e não reč, embora use samoubistvo (suicídio), que é o uso sérvio, ao invés do uso croata samoubojstvo. Os ortodoxos usam o alfabeto cirílico, os croatas o latino, e na Bósnia ambos são correntes, de forma que mais abaixo transcrevi a fala nos dois alfabetos. Com custo, achei na publicação (Sarajevo, 2011, p. 849) dos trabalhos apresentados numa conferência de 2009 em Srebrenica sobre o genocídio.

Este artigo de um site pró-sérvios, contando sobre a vida de Đogo e sua morte, em grande parte é a mera transcrição da Wikipédia sérvia pro alfabeto latino. Um relatório em francês redigido em 2003 por um acadêmico na França foi solicitado pelo Tribunal Penal Internacional para a Ex-Iugoslávia, tratando justamente do uso da mídia pra difundir os projetos de supremacia sérvia, e cita o repórter várias vezes (há também a versão em inglês). Este site é o que atualmente serve à TV bósnia sérvia, escrito todo em alfabeto cirílico.

Eu traduzi direto do sérvio, legendei e fiz o corte no enquadramento do vídeo. Seguem abaixo a legendagem, que postei no meu canal Eslavo (YouTube), a transcrição nos dois alfabetos e duas traduções pro português, uma abreviada pras legendas, e outra mais literal:


____________________


Prevarili ste se. Stavljanjem potpisa na Vens-Ovenov plan Srbi nisu izvršili samoubistvo. Srbi su ovim potpisom samo pokazali svijetu da će ostati i opstati na svojoj teritoriji, na teritoriji Republike Srpske, a parlament će reći svoju riječ.

Преварили сте се. Стављањем потписа на Венс-Овенов план Срби нису извршили самоубиство. Срби су овим потписом само показали свијету да ће остати и опстати на својој територији, на територији Републике Српске, а парламент ће рећи своју ријеч.

Literal: Vocês se enganaram. Ao assinarem o plano Vance-Owen, os sérvios não cometeram suicídio. Com essa assinatura, os sérvios apenas mostraram ao mundo que vão ficar e resistir em seu território, no território da República Sérvia, e o parlamento vai dar sua palavra.

Resumida: Não se enganem. Os sérvios assinaram o plano Vance-Owen, mas não se suicidaram. Com isso só mostraram ao mundo que vão ficar e resistir em seu território da República Sérvia, e o Parlamento vai dar seu voto.


11 de março de 2018

“Мила Родино” (Bulgária comunista)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/milarodino


Esta é a versão do hino da Bulgária, chamado “Mила Родино” (Mila Rodino), Ó, querida Pátria, como foi adotado em 1964, quando o país ainda era uma república comunista. É baseado na canção “Горда Стара планина” (Gorda Stara planina), Os altivos montes Bálcãs, composta por Tsvetan Radoslavov em 1885, a caminho do campo de batalha na Guerra Servo-Búlgara ocorrida em novembro daquele ano. Essa música sofreu diversas alterações pra servir de hino nacional.

Antes de 1964, a Bulgária mudou várias vezes de hino, mesmo após 1945, até que Mila Rodino foi adotada com algumas modificações na letra, já antes constantemente mudada. Uma das alterações mais notáveis foi o acréscimo de uma terceira estrofe mencionando Moscou e o partido comunista. De fato, os búlgaros eram o povo mais atrelado à URSS, e as ligações entre o país e os russos são históricas, a começar pela língua, já que o eslavo eclesiástico, muito próximo do búlgaro antigo, foi a forma escrita que forjou o russo moderno. A última modificação no hino foi em 1990, após o fim do comunismo, quando só foram mantidas a primeira estrofe e o refrão.

Nesta página pode ser vista a versão comunista, mais longa, com legendas búlgaras, de onde eu baixei o áudio. Como diversos outros hinos nacionais de países eslavos, Mila Rodino tem uma letra bem simples e faz muitas referências à geografia local. É notável que o hino chama a Bulgária de zemen rai, ou seja, “paraíso na Terra”. Reparem que num momento o hino tcheco também fala em zemski raj, que é exatamente a mesma coisa! Nesta página também existe uma bela versão vocal, apenas com o refrão, a primeira e a segunda estrofes.

Eu mesmo traduzi a letra e montei o vídeo com uma legenda bilíngue (búlgaro e português), transliterando o alfabeto cirílico, pra conforto de vocês, conforme meu próprio sistema. Ouçam o hino duas vezes, primeiro lendo a letra em búlgaro, e depois em português! Pra traduzir as duas estrofes que faltavam, eu me baseei essencialmente nas traduções da Wikipédia em francês, italiano, russo, bielo-russo e alemão, só recorrendo ao dicionário búlgaro em caso de dúvida. Seguem abaixo a legendagem, que carreguei no meu canal Eslavo (YouTube), a letra em cirílico e a tradução em português:


____________________


1. Горда Стара планина,
до ней Дунава синей,
слънце Тракия огрява,
над Пирина пламеней.

Припев (2x):
О мила, мила Родино,
ти си земен рай,
твойта хубост, твойта прелест,
ах, те нямат край.

2. Паднаха борци безчет
за народа наш любим,
Майко, дай ни мъжка сила
пътя им да продължим.

(Припев 2x)

3. Дружно братя българи,
с нас Москва е в мир и бой,
партия велика води,
нашият победен строй.

(Припев 2x)

____________________


1. Os altivos montes Bálcãs,
junto ao Danúbio azul,
o Sol ilumina a Trácia,
flameja nos montes Pirin.

Refrão (2x):
Ó, querida, querida Pátria,
você é o paraíso na Terra,
a sua beleza e o seu encanto,
ah, eles não têm limites.

2. Inúmeros lutadores caíram
Por nosso amado povo,
Mãe, dê-nos força viril para
Continuarmos o rumo deles.

(Refrão 2x)

3. Irmãos búlgaros, nossa amiga
É Moscou, na paz ou guerra,
O grande partido conduz
O nosso regime vitorioso.

(Refrão 2x)




7 de março de 2018

“Jedna si jedina” (Você é única e unida)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/jedina


Esta é a tradução de um hino eslavo antigo (desusado): a canção Jedna si jedina (Você é única e unida), utilizada como hino da Bósnia e Herzegóvina entre 1992 e 1998, ano em que foi adotada a melodia Intermeco (Intermezzo), usada até hoje. Ela foi composta pelo cantor e compositor popular Edin Dervišhalidović, mais conhecido pelo nome de Dino Merlin, logo após a declaração de independência do país, e adotada em novembro de 1992. Outras fontes mencionam a data de adoção como novembro de 1995, mas esse atraso talvez se deva ao fim da guerra civil, terminada logo depois.

A melodia de Jedna si jedina foi baseada na velha canção popular bósnia S one strane Plive (Na outra margem do rio Pliva), e recebeu letra de Dino Merlin. Como o hino foi logo abandonado e continuou correndo de boca em boca, há muitas variações na letra, e quero falar delas a seguir. Ocorreu que sérvios e croatas se sentiam excluídos do hino, embora ele não tivesse menções discriminatórias nem citasse explicitamente os bosníacos, por isso ele foi substituído pela melodia sem letra Intermezzo. Até hoje não foi aprovada nenhuma letra, mas há um texto não oficial usado em algumas ocasiões.

Muitos bósnios ainda consideram Jedna si jedina como seu verdadeiro hino, porque o atual não tem letra nenhuma e por isso eles seguem cantando o antigo, mesmo em competições esportivas. A adoção dos novos símbolos nacionais em 1999 também acarretou a troca da bandeira, sendo a do vídeo abaixo a usada até então. Imagino que confusão devia ser um país recém-fundado trocar de hino e bandeira tão rápido, e que confusão pro Ocidente assimilar tudo isso, quando ainda não existia internet!

Eu mesmo traduzi a letra, legendei e montei o vídeo. A legenda é bilíngue, e está no alfabeto latino, que é mais corrente na Bósnia e Herzegóvina. Ouçam o hino duas vezes, primeiro lendo a letra em bósnio, e depois em português! Na Wikipédia bósnia, a letra possui três estrofes e um refrão, mas na maioria dos áudios e das outras Wikipédias, só as primeiras duas estrofes são apresentadas. Eu baixei desta página o primeiro áudio principal, e nesta página há uma versão de três estrofes, da qual eu tirei o áudio da terceira menos usada. Porém, essa terceira está aí como segunda (e no refrão se canta “Naša domovina”, e não “Moja domovina”), e o texto da segunda (terceira) tem leves diferenças: “Bog neka te čuva/Za pokoljenja nova/Zemljo krvi naše/Naših pradjedova” (Que Deus a conserve/Para as novas gerações/Ó, terra de nosso sangue/E de nossos bisavós). A primeira estrofe está toda diferente!

Na Bósnia e Herzegóvina é corrente usar-se tanto o alfabeto cirílico quanto o latino (considerado neutro, sobretudo pelos muçulmanos). Portanto, após a legendagem que carreguei no meu canal Eslavo (YouTube), seguem abaixo as duas letras em bósnio e a tradução em português. As variações mais comuns de cada verso estão colocadas abaixo deles, entre colchetes:


____________________


1. Zemljo tisućljetna
Na vjernost ti se kunem
Od mora do Save
Od Drine do Une

Refren:
Jedna si jedina
Moja domovina
Jedna si jedina
Bosna i Hercegovina

2. Bog nek’ te sačuva
[Bog neka te čuva]
Za pokoljenja nova
Zemljo mojih snova
[Zemljo krvi naše]
Mojih pradjedova
[Naših pradjedova]

(Refren)

3. Teško onoj ruci
Koja ti zaprijeti
Sinovi i kćeri
Za te će umrijeti

(Refren)

1. Земљо тисућљетна
На вјерност ти се кунем
Од мора до Саве
Од Дрине до Уне

Рефрен:
Једна си једина
Моја домовина
Једна си једина
Босна и Херцеговина

2. Бог нек’ те сачува
[Бог нека те чува]
За покољења нова
Земљо мојих снова
[Земљо крви наше]
Мојих прадједова
[Наших прадједова]

(Рефрен)

3. Тешко оној руци
Која ти запријети
Синови и кћери
За те ће умријети

(Рефрен)

____________________


1. Ó, terra milenar
Juro ser fiel a você
Do mar até o rio Sava
Do rio Drina ao rio Una

Refrão:
Você é única e unida
Minha pátria
Você é única e unida
Bósnia e Herzegóvina

2. Que Deus a conserve
Para as novas gerações
Ó, terra de meus sonhos
[Ó, terra de nosso sangue]
E de meus bisavós
[E de nossos bisavós]

(Refrão)

3. Quebrando aquela mão
Que ameaçar você
Seus filhos e filhas
Vão morrer por você

(Refrão)




4 de março de 2018

Leandro & Leonardo – “Одиночество”


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/solidao


Esta foi a terceira legendagem em russo que traduzi e montei de uma canção de Leandro & Leonardo. Ela se chama Solidão, e verti o título pro russo como “Одиночество” (Odinochestvo); foi composta por Zezé di Camargo e gravada no segundo LP da dupla, em 1987 (os dois não punham na lista seu primeiro álbum de 1983). O vídeo é de uma edição do programa Especial Sertanejo em 1989, na qual a dupla foi lançada pela primeira vez em cadeia nacional, quando Solidão tinha se tornado o primeiro de muitos hits dos irmãos de Goiás. Porém, na verdade, esta gravação foi uma reprise lançada em 1998, ano em que Leandro tinha morrido de câncer, e por isso aparecem as mulheres chorando na TV. O apresentador é o famoso sertanejo Marcelo Costa, conhecido em seu meio como o “rei do bailão”.

Eu baixei o vídeo sem legendas desta página, e a letra em português pode ser lida nesta página. Eu mesmo traduzi a letra pro russo e coloquei as legendas, tendo postado o novo vídeo no meu canal Eslavo (YouTube). Seguem abaixo a legendagem, a tradução russa e a letra em português:


____________________


Каждый день из своего окна
Я вижу её ещё красивее
Она одевается, красится
И уходит
Ещё тяжёлый день
На улице почти схожу с ума
Когда думаю о ней

В моей голове – её образ
В моей груди – желание
Быть её мужчиной
Я возвращаюсь с работы
И опять из своей комнаты
Люблю её через окно

Одиночество
Когда гаснет свет
И дома ещё раз любовь
К ней делает мне больно
Одиночество
Переполняет мою душу
Не могу терпеть желания
Заниматься с ней любовью

____________________


Todo dia do meu quarto
Eu a vejo mais bonita
Se arruma, se pinta
E sai
Mais um dia de sufoco
Eu na rua quase louco
Pensando nela

Na cabeça, a sua imagem
No meu peito, uma vontade
De ser o homem dela
Eu de volta do trabalho
Vou de novo pro meu quarto
Vou te amar da minha janela

Solidão
Quando uma luz se apaga
Eu de novo em casa
Morrendo de amor por ela
Solidão
Que minha alma extravasa
Não suporto a vontade
De fazer amor com ela