Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

7 de maio de 2018

As melhores canções de Vice Vukov (1)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/vice-vukov1




Após me dar conta, no começo deste ano, do lixo que está inundando nossa música brasileira atual (e o YouTube, com os haters histéricos que só fazem replicar esses lixos), até mesmo meu querido sertanejo com boçais que gritam, decidi criar uma resistência. Não sou hater, não sou lambe-saco, por isso minha resistência é silenciosa, cultural e produtiva. Comecei a legendar pérolas musicais do mundo eslavo que quase ninguém no Ocidente, sobretudo no Brasil, veio a conhecer profundamente. Por meio desta iniciativa, que batizei Momento da Música Boa, quero que vocês conheçam coisas novas, mesmo que cronologicamente antigas. Porque não existe nada mais revolucionário do que o conhecimento e sua difusão. Em fevereiro conheci por acaso o cantor croata Vice Vukov, que possuía voz comparável, aqui, apenas a Cauby Peixoto, Agnaldo Rayol e Agnaldo Timóteo. Apresento hoje as quatro primeiras canções dele que traduzi.

Vinko Vukov, mais conhecido como Vice Vukov (1936-2008), ganhou fama instantânea em 1959 e durante os anos 60 se tornou um dos mais célebres cantores da Iugoslávia. Esteve no concurso Eurovision em 1963 e 1965, mas em 1972 teve sua carreira nacional interrompida por ter sido associado ao movimento nacionalista croata de protesto. Só em 1989 circulou um novo álbum seu sem assinatura, e com o fim do comunismo Vukov pôde retornar triunfalmente aos palcos. Foi eleito deputado federal em 2003, mas em 2005 sofreu uma queda que lhe feriu a cabeça e o deixou em longa agonia.

A antiga Iugoslávia sempre foi celeiro de grandes talentos musicais, sobretudo cantores, com destaque pras repúblicas da Croácia e da Bósnia e Herzegóvina, mesmo havendo bons nomes sérvios, como Zdravko Čolić. Os dialetos daquelas duas regiões são muito parecidos, e a pronúncia peculiar torna a musicalidade muito bonita. Além disso, o que vale especialmente pra Croácia e seu extenso litoral no Adriático, os iugoslavos sempre foram influenciados pela Itália, por si só uma potência cultural mundial.

Hoje vou apresentar primeiro minhas montagens com o áudio, fotos e legenda bilíngue, que postei no canal Eslavo (YouTube). Vejam os vídeos sempre duas vezes, lendo uma língua de cada vez! Pričaj mi (Conte-me), a primeira que eu escutei, me apaixonou logo de início. Neka cijeli ovaj svijet (Que este planeta inteiro) é um inocente convite à paz mundial. Mirno teku rijeke (Os rios correm calmos) e Tvoja zemlja (Sua terra) foram um ótimo refresco pro Carnaval.

O tema de Pričaj mi é muito comum inclusive no Brasil: um homem abandona sua esposa no lar e volta muito tempo depois arrependido (ou não volta, e se arrepende), por não ter encontrado felicidade fora. Três canções populares brasileiras, no mínimo, lembro de cabeça que dão algo parecido: As andorinhas, O portão e Eu nunca te esqueci. No caso croata, o homem não volta, mas pergunta como andam as coisas, à maneira da nossa Como vai você. Alguns traços linguísticos merecem destaque: além dos usos claramente croatas itko (alguém), tko (quem), uvijek (sempre), pjesme (canção), svijetu (mundo), riječ (palavra) e gdje (onde), há hiljade (milhares) como um arcaísmo com sentido figurado, sendo que “mil” em croata é tisuća (hiljada em sérvio e bósnio). Đardin (jardim) é um óbvio empréstimo do italiano giardino, e gariful (craveiro), similar ao grego, é um regionalismo dálmata pra karanfil. Por fim, Kali é uma cidade pesqueira que fica numa ilha bem no centro do Mediterrâneo croata. Pričaj mi é um single de 1970, cuja melodia é de Zvonko Špišić e cuja letra é de Zvonko Špišić e Vesna Lukatela, e arranjos de Pero Gotovac. Eu baixei o áudio desta página, onde também está escrito o poema.

O autor da letra de Tvoja zemlja é o poeta e jornalista Drago Britvić, e o autor da melodia é o compositor e músico croata Alfi Kabiljo, cuja criação foi gravada por Vukov em 1971. A canção é conhecida por ser um símbolo popular do nacionalismo croata, louvando o acolhimento e belezas da terra natal e dizendo que, apesar das tempestades e invasões, é o povo morando lá que lhe dá sentido. Entre o punhado de canções que mais se destacou na carreira de Vukov, Tvoja zemlja ocupa um lugar especial, num contexto que sempre foi de tensa disputa com os sérvios, dentro da república multinacional da antiga Iugoslávia comunista. Eu baixei o áudio deste vídeo, e pode-se ler também a letra completa em croata, que foi minha base pra traduzir. O autor da letra de Mirno teku rijeke também é Britvić, e o autor da melodia é o compositor Miroslav Biro, com arranjos feitos por Ferdo Pomykalo pra estreia no Festival Opatija em 1959. Na ocasião, Vukov a cantou alternadamente com Dušan Jakšić, assim arrebatando o primeiro lugar e tornando a canção o primeiro verdadeiro hit das rádios iugoslavas no começo dos anos 60. É interessante o jogo que o letrista faz no começo entre Mirno žita šume (Os trigais chiam calmos) e Misli njišu šume (O pensar agita as matas), pois no primeiro caso šume é a 3.ª pessoa do plural do presente do verbo šumiti (chiar, sussurrar, assobiar), e no segundo é o plural de šuma (floresta, mata). Eu baixei o áudio deste vídeo, onde também está escrito o poema.

Drago Britvić (1935-2005), poeta, jornalista e letrista croata, foi um dos mais famosos autores de letras pra festivais musicais. Formado em língua e literatura croata em Zagreb, alternava entre seu trabalho no rádio e nos jornais e a escrita de poesia e letras musicais populares. Tendo lançado seu primeiro livro em 1993, também produziu musicais, escreveu roteiros e publicou libretos de ópera. Zvonko Špišić (1937-2017), também croata, foi cantor, compositor, letrista e artista plástico, que como autodidata em música, exerceu várias profissões. Mesmo assim, presidiu a Sociedade dos Compositores Croatas, ainda nos anos 70 foi parlamentar e recebeu vários prêmios nacionais e um polonês. Lançou três livros com as letras de suas canções. Nasceu e morreu em Zagreb, a capital da Croácia.

Quanto a Neka cijeli ovaj svijet, o autor da letra é Milan Grgić, e o autor da melodia também é Alfi Kabiljo, que a compuseram especialmente pro musical Jalta, Jalta, lançado em 1972. A história se dá em torno de uma mesa de reuniões em que Churchill, Stalin e Roosevelt, prestes a dividirem o mundo, analisam um mapa-múndi, durante a célebre Conferência de Ialta em 1945. A peça é uma censura à guerra, em meio ao clima de tensão geopolítica bipolar vigente na década de 1970, e aquela canção, como um pedido aos governantes daquelas potências, fecha a peça com maestria. Na época, a canção foi um grande sucesso, e por volta de 2010 o musical ainda era muito encenado. Eu baixei o áudio desta página, mas pode-se ler também a letra completa em croata, que foi minha base pra traduzir. Há uma curta matéria nesta revista croata sobre o musical Jalta, Jalta. Vukov canta de modo levemente diferente do que estava escrito, e no texto abaixo aponto isso entre colchetes:

Abaixo estão minhas quatro legendagens, seguidas pelos respectivos poemas em croata e traduções em português:


____________________


Sad smo se ponovo sreli
Još uvijek ko drugovi stari
I našlo se hiljade stvari
Što htio bih saznati ja

Pričaj mi, pričaj
Da l’ postoji još
Prastara kuća u Kali
Da l’ itko zaliva
Moj stari đardin
U kom su garifuli cvali

Pričaj mi, pričaj
Da l’ čempresa dva
Još uvijek za kućom stoje
Reci mi da l’ ikad
Zapjeva tko
Pjesme iz mladosti moje

Duga su minula ljeta
I više se vratiti neću
Uzalud sam tražio sreću
U svijetu gdje nije moj dom

Pričaj mi, pričaj
Da l’ postoji još
Prastara kuća u Kali
Da l’ itko zaliva
Moj stari đardin
U kom su garifuli cvali

Pričaj mi, pričaj
Da l’ čempresa dva
Još uvijek za kućom stoje
Reci mi da l’ ikad
Zapjeva tko
Pjesme iz mladosti moje

Pričaj mi, pričaj
Da l’ pamte me još
Pričaj o suncu i ljetu
Reci mi, reci barem
Riječ ili dvje
O najljepšem moru na svijetu

____________________


Agora nos vimos de novo
Ainda como velhos amigos
Surgindo milhares de coisas
Que eu gostaria de saber

Conte-me, conte
Se ainda está de pé
A vetusta casa em Kali
Se há alguém regando
Meu velho jardim
Quem vê abrirem os cravos

Conte-me, conte
Se os dois ciprestes
Sobrevivem atrás da casa
Diga se alguma vez
Alguém tem entoado
Cantos da minha mocidade

Os verões têm sido longos
E não vou mais retonar
Busquei em vão ser feliz
Num mundo longe de casa

Conte-me, conte
Se ainda está de pé
A antiga casa em Kali
Se tem alguém regando
Meu velho jardim
Quem vê abrirem os cravos

Conte-me, conte
Se os dois ciprestes
Sobrevivem atrás da casa
Diga se alguma vez
Alguém tem entoado
Cantos da minha mocidade

Conte-me, conte
Ainda lembram de mim?
Conte do sol, do verão
Diga-me pelo menos
Uma ou duas palavras
Do mais belo mar do mundo


____________________


Mirno teku rijeke,
Mirno žita šume,
Svjetlo njiše misli,
Misli njišu šume.

Ptica let šara svod,
Bršti pjev u jasni vedri dan.
Jasni dan, vedri smijeh,
Vedar čovjek nikad nije sam.

A što takneš,
Svaku travku, cvijet,
Tu si velik ti
I tvoj je svijet.

Onda mir, samo mir,
Rijeka, šuma,
Plavi svod i ti.

Još da skineš dugu
Sjajnu, vrelu, žarku,
Sve bi zlato dana
Stalo u tu bajku.

Ptica let šara svod,
Bršti pjev u jasni vedri dan.
Jasni dan, vedri smijeh,
Vedar čovjek nikad nije sam.

A što takneš,
Svaku travku, cvijet,
Tu si velik ti
I tvoj je svijet.

Onda mir, samo mir,
Rijeka, šuma,
Plavi svod i ti.

____________________


Os rios correm calmos,
Os trigais chiam calmos,
A luz agita as reflexões,
O pensar agita as matas.

O voo das aves colore o céu
E semeia canto no dia claro.
Dia claro traz sorriso limpo,
Homem limpo nunca vai só.

E o que você tocar,
Cada relva ou flor,
Aí você é grande
E o mundo é seu.

Então há paz, só paz,
O rio, a floresta,
O céu azul e você.

Você tirando o arco-íris
Que brilha, queima, arde,
Ainda todo o ouro do dia
Continuaria nessa fábula.

O voo das aves colore o céu
E semeia canto no dia claro.
Dia claro traz sorriso limpo,
Homem limpo nunca vai só.

E o que você tocar,
Cada relva ou flor,
Aí você é grande
E o mundo é seu.

Então há paz, só paz,
O rio, a floresta,
O céu azul e você.


____________________


1. Tu ćeš naći uvijek dom,
Srce koje kuca za te,
Ruku da te prati,
Majku da te shvati,
Znat ćeš sve što treba znati.
Znat ćeš kako boli plač
Kada tvoja zemlja pati;
Ali iza svega
Sigurno ćeš znati
Što ti znači ovaj kraj.

Pripjev:
To je tvoja zemlja,
Tu sagradi dom,
Tu je stari temelj,
Tu na kršu tvom.
Tuđin i oluje
Kidali su nju,
Al’ još uvijek tu je
Sve dok mi smo tu.

2. Bit ćeš bogat ko i mi,
Kralj što ne zna što je kruna,
Al’ na svojoj grudi
Ko i ovi ljudi
Bit ćeš velik ko i mi.

(Pripjev 2x)

____________________


1. Aqui você sempre terá lar,
Coração que bate por você,
Uma mão para seguir você,
A mãe para entender você,
Você saberá tudo que deve.
Saberá como dói chorar
Ao ver sua terra sofrer;
Mas após tudo isso
Certamente você saberá
O quão lhe vale este chão.

Refrão:
Esta é sua terra,
Aqui o lar edifica,
Aqui é a velha base,
Seu terreno rochoso.
Estrangeiros, tormentas
Irromperam sobre ela,
Mas aqui ainda é tudo
Enquanto estamos aqui.

2. Você será rico como nós,
Rei que desconhece coroa,
Mas em cujo peito
Como no desta gente
Terá grandeza, como nós.

(Refrão 2x)


____________________


1. Znam, negdje mjesta ima
[Još, negdje mjesta ima]
Na svijetu kojem živimo mi
Još negdje sunca ima
Gdje postoje još sni

Pripjev:
Neka cijeli ovaj svijet
Još sja u suncu
Neka naša Zemlja sva
Postane sretna
Neka cijeli ovaj svijet
Zove se bajka
Zelena i mirisna
Cvjetna sva i nevina
Livada iz sna

2. Plam topli negdje tinja
Sjaj dobre zvijezde seže do nas
[Sjaj tople zvijezde seže do nas]
Još pravih ljudi ima
[I pravih ljudi ima]
Što vjeruju u spas

(Pripjev 2x)

____________________


1. Sei que existe algum lugar
[Ainda existe algum lugar]
No mundo em que vivemos
Um lugar onde há Sol ainda
E onde os sonhos persistem

Refrão:
Que este planeta inteiro
Ainda brilhe sob o Sol
Que toda a nossa Terra
Se torne feliz
Que este planeta inteiro
Seja um conto de fadas
Verde e cheio de aroma
Todo florido, imaculado
Pradaria saída do sonho

2. Em algum lugar há calor
O bem da estrela nos aquece
[A luz da estrela nos aquece]
Ainda há pessoas honestas
[E há pessoas honestas]
Que acreditam na salvação