Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

9 de abril de 2018

As muitas mortes de Josip Broz Tito


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/morre-tito



Estes três vídeos constituem um conjunto histórico muito valioso, em especial pra quem fala português, sobre nossa ainda tão desconhecida Iugoslávia socialista (titoísta). Após ter a perna esquerda amputada por causa de um coágulo arterial, em meio a um quadro de saúde já precário, Josip Broz, conhecido pela história como Marechal Tito, morreu em Ljubljana, hoje capital da Eslovênia, em 4 de maio de 1980. Desde o fim da 2.ª Guerra Mundial, ele na prática comandava sozinho a Iugoslávia e era o último grande comandante antifascista ainda vivo.

A República Federativa Socialista da Iugoslávia (ou “Jugoslávia”, em Portugal), conhecida pela sigla eslava SFRJ, era um país composto de 1945 a 1991 por seis unidades maiores federadas, que representavam as principais nações habitantes do território: Bósnia e Herzegóvina, Croácia, Eslovênia, Macedônia, Montenegro e Sérvia. Exceto pelos idiomas esloveno e macedônio, igualmente pertencentes ao ramo meridional das línguas eslavas, além de diversas outras línguas eslavas e não eslavas minoritárias, o idioma dominante nas outras repúblicas era o servo-croata, que hoje se considera dividido em três outras línguas: bósnio, croata e sérvio (mais raramente se fala também em “montenegrino”). Com leve diferença em relação à União Soviética, as maiores nacionalidades iugoslavas eram bem representadas por jornal, televisão e literatura próprios, o que favoreceu a livre expressão e evolução de suas culturas.

Desta forma, as televisões da Sérvia, Croácia e Eslovênia tiveram anúncios próprios da morte do Marechal Tito, que estão disponíveis no YouTube. A notícia em sérvio veio do jornalista Miodrag Zdravković na televisão de Belgrado, então capital de toda a Iugoslávia. Zdravković nasceu na Sérvia em 1927 e foi um locutor muito famoso de rádio, TV e filmes, e sua celebridade se deve exatamente ao anúncio mais conhecido da morte de Tito. Ele tinha formação de ator e morreu em Belgrado aos 90 anos, em 11 de maio de 2017, fato então amplamente noticiado na internet. O informe em croata foi dado pelo jornalista Miroslav Lilić na televisão de Zagreb, atual capital da Croácia. E a versão eslovena, na TV e na rádio de Ljubljana, ficou a cargo do radialista, apresentador e jornalista esloveno Tomaž Terček (1937-2001), também famoso só por ter noticiado a morte de Tito e cujo verbete só existe na Wikipédia do próprio país. Falecido relativamente novo, aos 63 anos de idade, ainda é lembrado por suas coberturas esportivas, e sua feição lembra coincidentemente a do nosso célebre poeta Carlos Drummond de Andrade.

Desta página eu baixei o vídeo sérvio sem legendas, e só legendei e cortei o enquadramento. Recomendo que vejam outros vídeos desse canal, que são muito interessantes pra se informar sobre o espaço da antiga Iugoslávia. Não precisei fazer nenhuma correção porque o texto é bastante conhecido e amplamente reproduzido, tanto no alfabeto latino quanto no cirílico. Desta página eu baixei o vídeo croata sem legendas, tendo apenas legendado e cortado o enquadramento. Por sorte, eu consegui uma transcrição completa da fala, publicada no jubileu de 2017 de sua morte, no que parece ser um jornal da parte croata da Bósnia e Herzegóvina. Eu fiz algumas correções pra deixar o escrito mais coerente com o que Lilić falou. Como ele está na Croácia, tem alguns traços do dialeto servo-croata local, e na linguagem de hoje diríamos que ele mistura traços do “sérvio” com traços do “croata”. Tentei achar o áudio completo do anúncio esloveno, mas infelizmente não achei: só consegui um vídeo com uma montagem da despedida entre Tito e Fidel Castro numa viagem oficial, em que o áudio começa um pouco pra frente, e um áudio que baixei de outro vídeo, em outro site, com a voz mais nítida, mas com o texto não integral, embora a parte faltante não seja essencial.

Notem que nos vídeos eles falam “presidência da Iugoslávia”, e não “presidente”: pouco antes de Tito morrer, foi estabelecido que essa presidência coletiva superior seria composta pelos presidentes das várias repúblicas componentes, que se revezariam anualmente em sua liderança. Outra observação importante: drug em russo é “amigo”, mas em servo-croata equivalia em geral ao russo tovarisch (camarada). Também é interessante que o Trem Azul que levou o caixão de Tito até seu funeral, após ter percorrido todo o país, chama-se Plavi voz na Sérvia e Plavi vlak na Croácia, com duas palavras diferentes, como no Brasil chamamos “trem” e em Portugal, “comboio”. Já a fala do locutor croata parece ter alguns traços coloquiais, como é comum também nos telejornais brasileiros de hoje. E em esloveno, é interessante que pra “camarada” eles usam uma palavra mais próxima do russo, que é tovariš, e o locutor fala proglas, como em servo-croata, ao invés de razglas, indicando “declaração”, mas devem ser sinônimos.

Seguem abaixo as três legendagens, que carreguei no meu canal Eslavo (YouTube), as transcrições das falas (nos alfabetos cirílico e latino, no caso do sérvio) e as traduções em português. Decidi pôr o texto croata só em alfabeto latino, porque eu não me sentiria seguro colocando em alfabeto cirílico um texto que tem muitos traços da hoje considerada língua croata. Já o texto em esloveno (embora não contemple ambos os áudios, está registrado na internet eslovena) é exatamente o mesmo que foi falado nos outros vídeos, então nem me dei ao trabalho de traduzir ou cotejar a partir do original. E enfim, que os coxinhas de esquerda tenham um pouco de senso de humor e me perdoem pelas piadas, no vídeo sérvio, com esse evento tão histórico!



Умро је друг Тито. То су вечерас саопштили Централни комитет Савеза комуниста Југославије и Председништво Социјалистичке Федеративне Републике Југославије, радничкој класи, радним људима и грађанима, народима и народностима Социјалистичке Федеративне Републике Југославије.

Umro je drug Tito. To su večeras saopštili Centralni komitet Saveza komunista Jugoslavije i Predsedništvo Socijalističke Federativne Republike Jugoslavije, radničkoj klasi, radnim ljudima i građanima, narodima i narodnostima Socijalističke Federativne Republike Jugoslavije.

Faleceu o camarada Tito. Assim informaram esta noite o Comitê Central da Liga dos Comunistas da Iugoslávia e a Presidência da República Federativa Socialista da Iugoslávia à classe operária, aos trabalhadores e cidadãos, aos povos e nacionalidades da República Federativa Socialista da Iugoslávia.



Prije neko[li]ko trenutaka stigao je proglas centralnog komiteta Saveza komunista Jugoslavije i predsedništva Socijalističke Federativne Republike Jugoslavije. Centralni komitet Saveza komunista Jugoslavije i predsedništvo Socijalističke Federativne Jugoslavije objavili su večeras sledeći proglas: Radničkoj klasi, radnim ljudima i građanima, narodima i narodnostima Socijalističke Federativne Republike Jugoslavije, umro je drug Tito. Očekujemo daljnje vijesti. Televizija Zagreb i jugoslavenske televizije od ovog časa počinju emitirati svoj izvanredni program.

Chegou há alguns instantes uma declaração do comitê central da Liga dos Comunistas da Iugoslávia e da presidência da República Federativa Socialista da Iugoslávia. O comitê central da Liga dos Comunistas da Iugoslávia e a presidência da Iugoslávia Federativa Socialista lançaram esta noite a seguinte declaração: À classe operária, aos trabalhadores e cidadãos, aos povos e nacionalidades da República Federativa Socialista da Iugoslávia, faleceu o camarada Tito. Aguardamos novas informações. A TV Zagreb e as TVs da Iugoslávia passarão desde já sua grade especial.



Razglas predsedstva centralnega komiteja Zveze komunistov Jugoslavije v imenu CK ZKJ in predsedstva Socialistične federativne republike Jugoslavije, delavskemu razredu, delovnim ljudem in občanom, narodom in narodnostim Socialistične federativne republike Jugoslavije: Umrl je tovariš Tito.

Declaração da presidência do comitê central da Liga dos Comunistas da Iugoslávia em nome do CC da LCI da presidência da República Federativa Socialista da Iugoslávia, à classe operária, aos trabalhadores e cidadãos, aos povos e nacionalidades da República Federativa Socialista da Iugoslávia: Faleceu o camarada Tito.



O funeral de Tito foi considerado em seu tempo o maior pra um chefe de Estado na história, tendo superado o de Winston Churchill (1965). Porém, foi superado pelo de Nelson Mandela e pelo de João Paulo 2.º, que ocupa agora a liderança. Veja aqui o vídeo sem legendas nem recorte de enquadramento, que foi exibido na TV croata.

Seu respeito no exterior era tanto que os funerais conseguiram atrair uma enorme diversidade de líderes alinhados ou não alinhados a um dos blocos mundiais, congregou líderes capitalistas e socialistas, do Ocidente e do Oriente. Num dado momento, enquanto se canta a Internacional em servo-croata, é possível ver até Margaret Thatcher de chapéu preto no canto superior esquerdo da tela. Mesmo entre o povo, apesar do autoritarismo, Tito era muito querido, pois seu regime era relativamente liberal, comparado com as ditaduras vizinhas na Europa comunista, em especial a Albânia (notavelmente, Enver Hoxha não foi ao funeral nem enviou representantes).

O corpo do Marechal Tito já estava tão deteriorado que o caixão celebrado na parada estava vazio, enquanto o cadáver mesmo seguiu pra Belgrado num helicóptero militar. Aí mesmo, na capital da Iugoslávia, foi realizada essa mesma celebração. Pra seguirmos nas passagens bizarras, notem ao 1 min 2 seg uma bandeira vermelha caindo sobre a cabeça de um homem embaixo do vídeo: eu nem tinha visto, foi minha mãe que reparou. Ao final do vídeo, nota-se o coral cantando o refrão de uma das versões da Internacional em servo-croata. A letra, faltando nas legendas um C com acento agudo, é esta: Pobede dan se javlja,/Naš se združen kreće hod!/Internacionala/Nek bude ljudski rod. (Trad. lit. “O dia da vitória se afigura,/Nossa marcha segue unida!/Que o gênero humano/Seja a Internacional.”)