Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

17 de dezembro de 2017

“Очи чёрные” (Olhos negros), canção


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/chornye


Quando postei esta linda canção que me pediram no meu canal Eslavo (YouTube), dediquei-a à minha avó, que só então tinha me contado que meu falecido avô Wladimir lhe dizia que ela tinha “ôji jôrni”... Ela se chama “Очи чёрные” (Ochi chornye), Olhos negros, e consiste numa romança (canção sentimental) russa datada dos anos 1880. É uma das mais famosas canções tradicionais da Rússia, célebre também no exterior. Ela foi publicada em 1843 como um poema do escritor russo-ucraniano Ievhen Pavlovych Hrebinka (em russo, Ievgeni Pavlovich Grebionka, 1812-1848). O texto recebeu melodia de Florian German em 1884, mas a versão mais conhecida é do compositor ítalo-inglês Adalgiso Ferraris (1890-1968).

A canção se tornou mundialmente famosa a partir da década de 1930, foi gravada por muitos cantores e cantoras russos e traduzida pra muitas línguas. Talvez o artista mais famoso que a tenha gravado tenha sido Ivan Rebroff, que é, na verdade, de origem alemã. E muitos podem reconhecer aí uma parte da melodia de Nathalie, cantada e composta por Julio Iglesias nas versões em português e espanhol. Ela também apareceu em muitos filmes, bem como no jogo eletrônico Syberia. Um dos traços arcaicos da música consiste justamente no uso de ochi pra “olhos”, quando se esperaria glaza. Oko é uma forma antiga de glaz, ainda muito usada em outras línguas eslavas. Ela tem um plural dual (que indica par) resquicial, como costuma ocorrer com partes binárias do corpo: ochi. O plural regular seria oka. O mesmo ocorre com ukho (ouvido) → ushi (os dois ouvidos). Tem ainda o verbo tsarit (reinar), que remete a tsar, e não a korol (rei).

Eu tirei essas informações da Wikipédia em russo, assim como a letra da canção. Lá existe também a letra na ortografia russa pré-1918, no tempo em que o poema foi redigido. Eu baixei o vídeo sem legendas desta página, em que apenas se informa que essa apresentação do Coral Aleksandrov do Exército Russo (o famoso Coral do Exército Vermelho) foi feita em Paris, em 2003. Recomendo que também o vejam, pois ele tem toda uma parte instrumental no começo que cortei por razões de praticidade. Não consegui identificar o solista, que deve ter alguma formação de ator, porque de modo magistral faz parecer que ele mesmo está vivendo esse sofrimento. Eu mesmo traduzi e legendei, e seguem a legendagem, a letra em russo e a tradução:


____________________


Очи чёрные, очи жгучие,
Очи страстные и прекрасные!
Как люблю я вас! Как боюсь я вас!
Знать, увидел вас я не в добрый час!

Очи чёрные, жгуче пламенны!
И манят они в страны дальние,
Где царит любовь, где царит покой,
Где страданья нет, где вражде запрет!

Не встречал бы вас, не страдал бы так,
Я бы прожил жизнь улыбаючись.
Вы сгубили меня, очи чёрные,
Унесли навек моё счастие.

Очи чёрные, очи жгучие,
Очи страстные и прекрасные.
Вы сгубили меня, очи страстные,
Унесли навек моё счастие...

Очи чёрные, очи жгучие,
Очи страстные и прекрасные!
Как люблю я вас! Как боюсь я вас!
Знать, увидел вас я не в добрый час!

____________________


Olhos negros, olhos ardentes,
Olhos lindos e apaixonados!
Como amo vocês! Como temo vocês!
Acho que não os avistei em boa hora!

Olhos negros queimando em chamas!
Eles chamam a terras distantes
Onde reina o amor, onde reina a paz,
Onde ninguém sofre nem pode brigar!

Não os encontrasse, não sofreria tanto,
Eu passaria minha vida sorrindo.
Vocês me arruinaram, olhos negros,
Levaram para sempre minha alegria.

Olhos negros, olhos ardentes,
Olhos lindos e apaixonados!
Me arruinaram, olhos apaixonados,
Levaram para sempre minha alegria...

Olhos negros, olhos ardentes,
Olhos lindos e apaixonados!
Como amo vocês! Como temo vocês!
Acho que não os avistei em boa hora!