Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

21 de setembro de 2016

Катюша (Katiusha) – canção soviética


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/katiusha



Uma das canções russas mais populares do mundo, “Катюша” (Katiusha), isto é, forma afetiva de Katia, por sua vez forma reduzida de Ekaterina, foi considerada em 2015, segundo pesquisa da revista de sociologia Russki reportior, a 13.ª composição poética mais popular da Rússia, alocando-a também como um clássico universal. Ela foi composta em 1938 por Matvei Blanter (melodia) e Mikhail Isakovski (letra), tendo sido estreada mais provavelmente em 27 de novembro de 1939, na voz de Valentina Batischeva cantando na Sala das Colunas da Casa dos Sindicatos, mas segundo outras fontes os primeiros cantores foram Vera Krasovitskaia, Georgi Vinogradov (o que canta no vídeo) e Vsevolod Tiutiunnik em 28 de novembro de 1938.

Nas décadas seguintes, a canção seria cantada por muitos outros artistas, inclusive nosso famoso Eduard “Trololo” Khil. Ela homenageia o sofrimento das jovens esposas de soldados de fronteira que vão defender o país de invasões estrangeiras, mas o tema não se limita à proximidade da 2.ª Guerra Mundial, quando a música se difundiu ainda mais, pois ele está presente em todas as culturas, em todas as nações. Foi traduzida para inúmeras línguas, especialmente no contexto da resistência militar antifascista, e além de figurar em filmes também foi cantada ou conhecida com outras versões de algumas estrofes. Muitas paródias também foram feitas, usos da melodia em composições musicais ou televisivas e ainda popularização em festivais, torcidas organizadas etc.

Matvei Isaakovich Blanter (1903-1990) foi um compositor laureado com o Prêmio Stalin em 1946 e como Artista Popular da URSS em 1975. Filho de atriz, já cantava desde criança, fez depois estudos superiores em teoria musical e composição e se tornou diretor de setores musicais de vários teatros. Abraçou o estilo “realista socialista” nos anos 1930 e progressivamente granjeou fama como um dos maiores compositores da URSS, também pertencendo à União dos Compositores e sendo um antissionista militante. Mikhail Vasilievich Isakovski (1900-1973), laureado com o Prêmio Stalin em 1943 e 1949 e membro do partido comunista desde 1918, nasceu em pobre família camponesa, tendo estudado com muito custo, mas ótimos resultados, trabalhado em jornais e publicado poesias, em especial para músicas. Seguiu escrevendo muitos livros, traduziu poetas bielo-russos, canções populares sérvias e parte da obra de Taras Shevchenko, além de ser esperantista habilidoso e apaixonado.

A legendagem da canção, que segue abaixo, foi um dos primeiros vídeos do meu canal O Eslavo no YouTube e até hoje é um dos mais vistos e curtidos, mas só agora estou postando no blog, após ter refeito a descrição no próprio canal, a qual serviu mesmo de base para esta postagem. Fiz uma montagem com a execução de Vinogradov, colocando várias imagens relativas a moças camponesas e soldados no front, mas tudo com a fuleira tecnologia do Windows Movie Maker e, é claro, sem a menor noção de gráfica ou de padrões para legendas. Eu tirei o áudio desta página, cujo link para baixar está perto da palavra “Скачать”, e lá mesmo pode-se ter acesso à letra da canção clicando em “Текст”. Em todo caso, após o vídeo, inseri também a letra em russo dessa versão mais célebre:



Adendo de 4/3/2018: Em novembro de 2017, fiz uma nova tradução, mais abreviada e mais moderna, da canção Katiusha e legendei três vídeos com o texto, pelos padrões profissionais da legendagem. Trata-se, respectivamente, da cantora Katerina Zolotar, de uma garotinha anônima do Coral Cossaco de Kuban e da cantora Ielena Vaienga, intepretando em diversas ocasiões. Pra não tornar a postagem longa demais, não coloquei informações adicionais sobre elas, e sugiro de coração que se quiserem saber mais, acessem as próprias páginas dos vídeos no meu YouTube. Seguem as três novas legendagens naquela ordem mencionada, e o texto escrito dessa nova versão:





____________________


Расцветали яблони и груши,
Поплыли туманы над рекой.
Выходила на берег Катюша,
На высокий берег, на крутой.

Выходила, песню заводила
Про степного, сизого орла,
Про того, которого любила,
Про того, чьи письма берегла.

Ой ты, песня, песенка девичья,
Ты лети за ясным солнцем вслед.
И бойцу на дальнем пограничье
От Катюши передай привет.

Пусть он вспомнит девушку простую
И услышит, как она поёт,
Пусть он землю бережёт родную,
А любовь Катюша сбережёт.

Расцветали яблони и груши,
Поплыли туманы над рекой.
Выходила на берег Катюша,
На высокий берег, на крутой.
Выходила на берег Катюша,
На высокий берег, на крутой...

____________________


Floresciam macieiras e pereiras,
Pairavam névoas sobre o rio.
Katiusha saía para a margem,
Para a margem alta e íngreme.

Ela saía entoando uma canção
Sobre a águia cinza da estepe,
Sobre aquele que ela amava
E cujas cartas ela guardava.

Ó, cançãozinha de donzela,
Voe em busca do Sol claro,
Ao lutador na distante fronteira
Mande lembranças de Katiusha.

Lembre-se ele da moça simples,
Que ele escute o canto dela,
Que ele guarde a terra natal
E Katiusha guarde seu amor.

Floresciam macieiras e pereiras,
Pairavam névoas sobre o rio.
Katiusha saía para a margem,
Para a margem alta e íngreme.
Katiusha saía para a margem,
Para a margem alta e íngreme...