Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

14 de setembro de 2016

E o combate segue de novo (URSS ’74)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/combate



Há alguns anos legendei para O Eslavo, meu canal no YouTube, uma animadora canção soviética dos anos 1970 que estava inserida num vídeo com uma sucessão de cartazes de propaganda de regimes comunistas de vários países. Esse vídeo eu baixei de um canal, já estava pronto, apenas inseri as legendas, as quais, aliás, estavam fora do padrão profissional, com um número muito grande de caracteres por linha. Isso significava, claro, que eu traduzi literalmente a canção a partir do russo e depois inseri nas legendas do jeito que estava, sem fazer qualquer redução. Este ano legendei uma outra versão dessa música, agora cantada num show por um famoso artista, e então finalmente produzi um texto mais curto.

Gravada num estilo que era comum na antiga URSS por volta dos anos 1970, a canção se chama “И вновь продолжается бой” (I vnov prodolzhaietsia boi), que na primeira vez traduzi como E o combate prossegue novamente, e na segunda traduzi mais sucinto, como E o combate segue de novo. A letra foi composta por Nikolai Dobronravov e a melodia por sua esposa, Aleksandra Pakhmutova, e quem canta no segundo vídeo é o artista Leonid Smetannikov, famoso por sua voz grave e essas apresentações meio vanguardistas.

A canção foi composta em 1974 pra homenagear Lenin e a Revolução de Outubro, e outros intérpretes famosos foram Iosif Kobzon e Lev Leschenko. Cheia de um vivo otimismo para com o futuro da URSS e as ideias comunistas, a música quase foi proibida por sua estridência e semelhança com o rock, supostamente ofensivas à memória de Lenin, mas foi tocada no encerramento do 17.º Congresso da Juventude Comunista soviética naquele ano.

Após o fim da URSS, várias bandas de rock e punk-rock, algumas com tendências nacionalistas, regravaram a canção na Rússia, mas de fato a relação entre comunismo e rock, ou música mais eletrizante, sempre foi tensa. Essa canção é realmente uma exceção, mas volta e meia os regimes leninistas abriam uma brecha, especialmente pra conquistar os jovens. Da Coreia do Norte, por exemplo, gosto muito de uma música que é traduzida como Arco-íris da reunificação e é famosa por seu raro solo de guitarra. Nesse vídeo vocês podem ver a letra em coreano e algo que parece ser a tradução em inglês.

E o combate segue de novo surgiu em plena “guerra fria” sob Brezhnev. Como se pode notar, a letra é um estímulo pra que os jovens, especialmente os rapazes, estejam sempre prontos pra grandes combates em nome da pátria, não excluindo a possibilidade da guerra (contra os países capitalistas, claro). Embora a URSS não estivesse então participando de nenhuma guerra, a canção era um dos vários instrumentos de preparação psicológica da população pros mais diversos eventos: a “guerra fria” dava margem pra que qualquer briga local se tornasse a ponte pra um grande conflito mundial entre os dois grandes blocos geopolíticos. Assim, era preciso convencer as pessoas a apoiar o governo nas horas de crise, algo feito com o controle sobre a cultura e os meios de comunicação.

Como se lê no final da canção, supunha-se que a solidariedade com o bloco socialista (em última instância, com os soviéticos) nos momentos de assédio se daria em escala mundial, mas o “internacionalismo proletário”, aludido no refrão por meio de Lenin e de “novos Outubros”, era só um eco do áureo período de ascensão do socialismo, de 1917 a 1945: nos anos 1970, o mundo socialista, além de rachado (os “ventos de um ataque impetuoso” poderiam vir até mesmo dos “partidos irmãos”...), vivia a crise que levaria à sua falência 15 anos mais tarde.

Leonid Anatolievich Smetannikov, cantor lírico barítono, nasceu em 1943, filho de uma alemã do Volga, e depois da 2.ª Guerra Mundial trabalhou muito jovem como operário, mas desde criança sempre cantava e no início da idade adulta decidiu seguir a carreira musical. Após terminar os estudos artísticos, tornou-se um cantor muito premiado e famoso, atuou nos melhores eventos e com os cantores mais célebres e mais tarde ocupou cátedras em boas universidades. Foi condecorado Artista Popular da RSFS da Rússia em 1979 e Artista Popular da URSS em 1987, bem como com a Ordem da Amizade em 2000, além de outros prêmios. Nikolai Nikolaievich Dobronravov (n. 1928, poeta, letrista e ator) e Aleksandra Nikolaievna Pakhmutova (n. 1929, musicista) são um casal de compositores juntos ainda hoje e muito famosos por suas centenas de canções que se popularizaram na antiga URSS, bem como na Rússia, com a fama do marido se devendo essencialmente à sua longa colaboração com a celebérrima esposa. Pakhmutova chegou a se tornar Artista Popular da URSS em 1984, mas a láurea maior de Dobronravov foi o Prêmio Estatal da URSS em 1982, e as canções de ambos, muitas vezes feitas com outras parcerias, foram interpretadas por inúmeros cantores.

Seguem o primeiro vídeo que legendei, com os cartazes comunistas, o segundo, com a apresentação de Smetannikov, e a letra em russo da canção, sem as traduções, que podem ser acompanhadas nas legendas. O primeiro vídeo sem legendas pode ser visto nesta página, e o segundo, nesta página. A única diferença entre as duas execuções é que Smetannikov não canta a quarta e última estrofe:





1. Неба утреннего стяг...
В жизни важен первый шаг.
Слышишь: реют над страною
Ветры яростных атак!

Припев (Refrão):
И вновь продолжается бой,
И сердцу тревожно в груди.
И Ленин – такой молодой,
И юный Октябрь впереди!
И Ленин – такой молодой,
И юный Октябрь впереди!

2. Весть летит во все концы:
Вы поверьте нам, отцы, –
Будут новые победы,
Встанут новые бойцы!

(Припев/Refrão)

3. С неба милостей не жди!
Жизнь для правды не щади.
Нам, ребята, в этой жизни
Только с правдой по пути!

(Припев/Refrão)

4. В мире – зной и снегопад...
Мир и беден и богат...
С нами юность всей планеты –
Наш всемирный стройотряд!

(Припев/Refrão)