Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

1 de novembro de 2015

Duas cartas sobre Octavio Brandão (1)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/brandao1


O Arquivo Edgard Leuenroth (AEL), vinculado ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp, foi criado em 1974 e hoje constitui um dos maiores acervos documentais sobre movimentos sociais, políticos e de minorias, e sobre pessoas ligadas a eles, auxiliando pesquisas brasileiras e estrangeiras de alto nível. A ele devo minha pesquisa sobre o impacto da “desestalinização” soviética no Partido Comunista Brasileiro (PCB) entre 1956 e 1961, desembocada na iniciação científica e na monografia de graduação, e sou ainda grato a seu pessoal pelo carinho e atenção com que me recebem sempre que utilizo seus serviços.

Há alguns meses o AEL editou o volume 1 e o volume 2 do catálogo do Fundo Octavio Brandão (1896-1980), membro do PCB desde 1922 e seu principal teórico até 1929-30. Sua evolução é típica dos primeiros comunistas brasileiros: começou anarquista e se converteu ao bolchevismo com o impacto da Revolução de Outubro no Brasil; em 1925, publicou Agrarismo e industrialismo, aplicação do marxismo esquemático soviético à análise da realidade brasileira e, supõe-se, um dos pioneiros no uso do termo “marxista-leninista”; exilou-se na URSS entre 1931 e 1946, onde trabalhou para a Comintern e sofreu com a família o peso da guerra; regressado, tentou se reintegrar à vida partidária, mas como grande parte de sua geração (Astrojildo Pereira é o mais célebre), foi marginalizado e morreu no ostracismo.

O fundo no AEL é rico em detalhes sobre sua vida pública e privada, e o poliglotismo dos documentos inclui o russo, que Brandão, sua esposa (a poetisa Laura Brandão) e filhas dominavam bem. O material em russo, especialmente cartas, não se limita a produções dele, e guarda também da esposa, filhas e outras pessoas a ele ligadas. Aos poucos, decidi copiar, com autorização do AEL, alguns dos textos em russo, traduzi-los e publicá-los aqui, a que tem me incentivado a direção técnica, inclusive publicando no site da instituição duas cartas traduzidas por mim, que lanço aqui nas duas próximas semanas.

A primeira foi escrita da URSS em 1950 por Sattva, filha de Octavio, às irmãs Valná e Dionysa, então no Brasil. Além de assuntos pessoais, Sattva informa sobre a participação de Vólia, a quarta irmã, na redação do artigo sobre o comunista Graciliano Ramos para a Grande Enciclopédia Soviética, e pede a elas dados e livros do escritor, sobre o qual ela admite conhecer pouco. Abaixo vai a tradução em português, e em seguida o inicial em russo, língua em que se pode pensar por que elas se comunicavam entre si, sendo filhas de brasileiros. A localização física no fundo é OB Cp.503, P.26.



Octavio Brandão e a esposa Laura, no casamento em 1921.



7 de setembro de 1950

Caras Valnazinha e Dionysinha!

Tenho muita pressa, mas decidi lhes escrever algumas linhas. Uns dias atrás Svetlana recebeu a carta de Valná. Ela já entrou na universidade, decidiu se tornar engenheira agrônoma. Zina ligou faz pouco e prometeu vir nos ver.

Queridas meninas, vocês receberam minhas cartas de 14, 24 e 29 de agosto, e três embrulhos postais enviados em 14 de agosto de 1950?

Como está o Papai? Como vão as coisas com seu livro?

Com a gente está tudo bem. Vólia está na Crimeia, e eu comecei a descansar (setembro inteiro folgo do trabalho), mas por enquanto estou em Moscou.

Queremos muito lhes pedir o seguinte: precisamos muito de informações, ou melhor, breves dados biográficos, materiais sobre a atividade literária e política de dois escritores: Monteiro Lobato e Graciliano Ramos. Seria muito bom se vocês pudessem nos enviar uma brochura ou um pequeno livro de cada um deles. Precisamos desse material para a Enciclopédia Soviética. Interessa também a opinião do Papai sobre Ramos. Sobre ele, só sei que é um escritor comunista brasileiro. Não sei sequer quais obras ele escreveu e se elas são relevantes. Porém, ouvi algumas vezes que ele é um grande escritor. Claro que seria muito bom se vocês pudessem nos enviar algum de seus livros mais importantes e significativos, mas receio que isso lhes seja financeiramente difícil. Estou certa que se talvez vocês pudessem falar pessoalmente com Ramos, ele nos enviaria seus livros com prazer, arcando com as despesas postais. Como eu disse, esse material é para a Enciclopédia Soviética, na qual Vólia está escrevendo sobre alguns escritores brasileiros.

Temos uma pequena, mas agradável surpresa para o Papai. Porém, é melhor ser “Cabocla”, como ele mesmo diz, esperar até tudo ficar pronto e então já lhes comunicar. Por isso, vou prender a língua e me calar.

Beijos!
Sattva

___________________


7 сентября 1950

Дорогие Волночка и Дионизок!

Очень спешу, но решила написать вам несколько строчек. На днях Светлана получила письмо от Волны. Она уже поступила в университет. Решила стать агрономом. Недавно звонила Зина и обещала к нам зайти.

Милые девочки, получили ли вы мои письма от 14/VIII, 24/VIII, 29/VIII, а также три пакета (бандероли), посланные 14/VIII–50 г.?

Как поживает Папа? Как идут дела с его книгой?

У нас всё благополучно. Воля в Крыму, я начала отдыхать (буду в отпуску весь сентября), но пока сижу в Москве.

Мы очень хотели попросить у вас следующее: нам очень нужны сведения, точнее – краткие биографические данные, материалы о литературном творчестве и политической деятельности двух писателей, а именно Монтейро Лобато и Грасилиано Рамос. Если бы вы смогли нам послать брошюрку или небольшую книжку о каждом из них, было бы очень хорошо. Эти материалы нужны для Советской Энциклопедии. Интересно, какого мнения Папа о Рамосе. О нём я знаю только, что он бразильский писатель, коммунист. Даже не знаю какие произведения он написал и являются ли они стоящими. Однако несколько раз слышала, что он крупный писатель. Конечно, если бы вы могли бы [sic] нам послать какую-нибудь из наиболее значительных, важных книг, то было бы очень хорошо, но боюсь, что в денежном отношении это для вас трудно. Может быть, вы бы сумели к нему лично обратиться и я уверена, что он с удовольствием послал бы нам свои книги, взял почтовые расходы на себя. Как я писала, эти материалы нужны для Сов. Энциклопедии. Точнее, Воля пишет для них о некоторых бразильских писателях.

У нас есть небольшой, но приятный сюрприз для Папы. Однако, лучше быть „Кабоклой‟, как говорит сам Папа, подождать пока будет всё готово и тогда уже вам сообщать. Поэтому держу язык за зубами и молчу.

Целую Вас!
Сатва



Octavio, Sattva, Dionysa e Vólia no exílio soviético.