Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 de fevereiro de 2019

Kobzon – День Победы (Dia da Vitória)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/denpobedy




Esta bela canção é uma homenagem à derrota dos nazistas pelos soviéticos e pelos Aliados em 8-9 de maio de 1945. Seu nome é “День Победы” (Den Pobedy), O Dia da Vitória, e pra não ser confundida com outras canções do mesmo nome, é lembrada pelo seu início, “Den Pobedy, kak on byl ot nas daliok...”. Foi composta em 1975 pelo poeta Vladimir Kharitonov (letra) e pelo músico, ainda vivo, David Tukhmanov (melodia), e interpretada pelos melhores cantores soviéticos e russos, dentre os quais se destacam Lev Leschenko e Iosif Kobzon. Sua origem está num concurso lançado pela União dos Compositores da URSS pra escolher a melhor canção sobre os 30 anos da vitória.

A primeira interpretação foi feita pela poetisa e atriz Tatiana Sashko, esposa de Tukhmanov, mas o texto foi muito criticado por colegas da união de compositores, por serem os dois autores jovens demais e, supostamente, não poderem ter “vivido” o espírito da guerra. Porém, em outras apresentações feitas no final de 1975, o público mais geral aprovou a canção, que hoje é considerada uma das mais populares da Rússia. O “forno de fundição” (martenovskaia pech), inclusive, que foi como eu traduzi “forno Siemens-Martin” em favor da clareza, era o símbolo de uma indústria pesada então crucial pra URSS ter vencido a 2.ª Guerra Mundial.

Pra quem acompanha e pesquisa música e cultura da Rússia, Iosif Davydovich Kobzon (1937-2018) dispensa apresentações, pois foi um consagradíssimo cantor da URSS e da Rússia. Mesmo tendo nascido no território da atual Ucrânia, suas canções eram quase sempre em língua russa, e ele sempre foi completamente alinhado a qualquer governo que estivesse em Moscou. Fã da antiga União Soviética e filiado ao partido Rússia Unida, foi um aliado fiel de Vladimir Putin e inclusive recebeu a cidadania da República Popular de Donetsk, não reconhecida internacionalmente. Por essa razão, em 14 de maio de 2018 o presidente Petro Poroshenko tirou-lhe todas as condecorações oficiais que tinha recebido em nome da Ucrânia. Também pedagogo musical, nunca deixou de atuar politicamente, mesmo já sofrendo de problemas de saúde no início dos anos 2000.

Este grupo não oficial do VK talvez seja uma das melhores referências pro material midiático referente a Kobzon. Eles informam que o cantor não usava redes sociais, portanto eram fiáveis apenas as coisas publicadas no site oficial. Há um único vídeo em que achei o clipe original, apesar da baixa qualidade, e eu mesmo traduzi, legendei, cortei o enquadramento e aumentei o volume. Seguem abaixo minha legendagem, que postei no canal Eslavo (YouTube), a letra em russo e a tradução em português:




1. День Победы, как он был от нас далёк
Как в костре потухшем таял уголёк
Были вёрсты, обгорелые, в пыли
Этот день мы приближали как могли

Припев:
Этот день Победы
Порохом пропах
Это праздник
С сединою на висках
Это радость
Со слезами на глазах
День Победы, День Победы, День Победы!

2. Дни и ночи у мартеновских печей
Не смыкала наша Родина очей
Дни и ночи битву трудную вели
Этот день мы приближали как могли

(Припев)

3. Здравствуй, мама, возвратились мы не все
Босиком бы пробежаться по росе
Пол-Европы прошагали, пол-Земли
Этот день мы приближали как могли

(Припев)

____________________


1. O Dia da Vitória, como estava longe de nós
Como numa fogueira apagada sumia a brasa
Eram quilômetros, queimados, empoeirados
Caminhávamos até esse dia como podíamos

Refrão:
Este Dia da Vitória
Cheirou a pólvora
Este é um festejo
Com cabelo branco na testa
Esta é uma alegria
Com lágrimas nos olhos
O Dia da Vitória, Dia da Vitória, Dia da Vitória!

2. Dias e noites junto aos fornos de fundição
Nossa Pátria não pregava os olhos
Dias e noites conduzimos uma difícil luta
Caminhávamos até esse dia como podíamos

(Refrão)

3. Como vai, mamãe, nem todos de nós voltamos
Não demos uma volta descalços pelo orvalho
Mas percorremos meia Europa, meio planeta
Caminhávamos até esse dia como podíamos

(Refrão)