Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 de janeiro de 2018

“Marcha de San Lorenzo” (Argentina)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/sanlorenzo


Eu postei no meu canal Eslavo (YouTube) esta legendagem numa época em que eu estava com muita curiosidade sobre a história da Argentina, portanto saí à pesquisa. É a chamada Marcha de San Lorenzo, com melodia do compositor Cayetano Alberto Silva (1901) e letra do escritor, poeta e professor Carlos Javier Benielli (1907). Ela relembra o combate de San Lorenzo (cidade da província de Santa Fe), travado em 3 de fevereiro de 1813 entre as tropas do coronel José de San Martín, patrono da independência argentina, e os soldados realistas que defendiam o domínio pela Espanha.

Numa zona quase desértica próxima ao Convento de San Carlos Borromeo, a canção começa com a saída do Sol (“Febo” – Phoebus, Apolo ou Helios, conforme a representação mitológica grega) e termina com o assassínio do granadeiro independentista Juan Bautista Cabral, que morreu com apenas 22 anos com o posto de sargento. Cabral tornou-se um herói nacional mitificado ao ter socorrido San Martín, cujo cavalo tinha caído durante o combate, que representou o “batismo de fogo” do Exército Argentino.

Esta obra se tornou uma das mais famosas da música militar, tanto que as tropas nazistas a tocaram quando invadiram Paris, em 1940, e anos depois o próprio general Eisenhower também a fez soar quando os aliados da Segunda Guerra aí entraram. As bandas militares do Brasil, Uruguai, Polônia e outros países incorporaram-na, inclusive, em seu repertório. Eu baixei o áudio deste vídeo, que tem também uma interessante montagem com figuras históricas e a letra em espanhol. Eu mesmo traduzi, legendei e montei o novo vídeo, tendo tirado a letra original e a informação histórica da Wikipédia em espanhol. Seguem abaixo a legendagem, o poema original e a tradução em português:


____________________


Febo asoma; ya sus rayos
iluminan el histórico convento;
tras los muros, sordos ruidos
oír se dejan de corceles y de acero.

Son las huestes que prepara
San Martín para luchar en San Lorenzo;
el clarín estridente sonó
y la voz del gran jefe
a la carga ordenó.

Avanza el enemigo
a paso redoblado,
al viento desplegado
su rojo pabellón.

Y nuestros granaderos,
aliados de la gloria,
inscriben en la historia
su página mejor.

Cabral, soldado heroico,
cubriéndose de gloria,
cual precio a la victoria,
su vida rinde, haciéndose inmortal.

Y allí salvó su arrojo,
la libertad naciente
de medio continente.
¡Honor, honor al gran Cabral!

____________________


O Sol sobe; seus raios já
clareiam o histórico convento;
atrás dos muros, sons baixos
de cavalo e espada se ouvem.

São tropas que San Martín
prepara à luta em San Lorenzo;
o clarim estridente soou
e a voz do grande chefe
ordenou o ataque.

O inimigo avança
em passo acelerado,
com bandeira vermelha
desdobrada ao vento.

E nossos granadeiros,
ajudados pela glória,
escrevem na história
a melhor página dela.

Cabral, soldado heroico,
cobrindo-se de glória,
como preço pela vitória,
entrega a vida, tornando-se imortal.

E ali sua coragem salvou
a liberdade nascente
de meio continente.
Honra, honra ao grande Cabral!