Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 19 de abril de 2017

“Три танкиста” (Três tanquistas) URSS


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/tankista



Esta é uma cançãozinha muito legal que há tempos me pediram pra legendar e postar no meu canal O Eslavo no YouTube. Ela se chama “Три танкиста” (Tri tankista), Três tanquistas, e é uma popular música soviética de guerra escrita em 1939, ou seja, bem no começo do segundo conflito mundial. A letra é do poeta, roteirista de cinema, prosador, dramaturgo e contista Boris Savelievich Laskin (1914-1983), e a melodia é de Samuil, Dmitri e Daniil Pokrass, genericamente conhecidos como Irmãos Pokrass, dos quais eu já postei algumas composições. Nos dois vídeos abaixo, quem canta são a menininha bielo-russa Angelina Pipper, que na época em que postaram o vídeo (abril de 2011) tinha quase 11 anos de idade, e a artista russa Iulia Kovalchuk, numa celebração do Dia da Vitória em Moscou, em 2013.

A canção é considerada um hino informal das tropas fronteiriças e de tanques da antiga URSS e da Rússia, muito executada em datas festivas como a de 23 de fevereiro, o Dia dos Defensores da Pátria, um dos vários feriados ligados a feitos e pessoas militares. Ela foi executada pela primeira vez no filme Traktoristy (Tratoristas), logo após uma série de conflitos armados de fronteira entre a URSS e o Japão de maio a setembro de 1939. De fato, na letra original a expressão “bando inimigo” (em russo, vrazhia staia) aparece como “samurais”, a qual em geral é substituída quando se quer conservar a política de boa vizinhança. Diz a Wikipédia em russo (fonte não indicada) que se pode entender “bando inimigo” como os nazistas alemães, mas a menção ao rio Amur, que deságua no extremo leste da Rússia, não deixa dúvidas: a não ser uns poucos alemães que de fato lutaram com os japoneses, eu nunca soube de tropas de Hitler naquela região.

Várias cantoras e cantores, em diversas ocasiões, gravaram ou apresentaram essa música, e o próprio Laskin escreveu letras diferentes pra outros contextos. Laskin e os Pokrass, aliás, tambem são famosos por outras canções de guerra, entre elas a Marcha dos tanquistas soviéticos, que já postei aqui traduzida e legendada. No primeiro vídeo abaixo, enviado sem legendas nesta página em abril de 2011, pouco antes das celebrações do 9 de Maio russo-soviético (Dia da Vitória), quem canta é a artista bielo-russa Angelina Pipper, cuja língua principal de trabalho é o russo. No segundo vídeo, que está sem legendas nesta página, a cantora Iulia Kovalchuk se apresenta durante o 9 de Maio (2013), quando os russos comemoram a vitória soviética sobre os nazistas, no Monte Poklonnaia, uma região que fica ao norte do centro de Moscou. Em geral, chamam-se “monte” (em russo, gora) as regiões mais elevadas das grandes cidades, e nesse caso “Poklonnaia” vem do verbo pra “inclinar-se”, e lá se encontra também o Parque da Vitória (Park Pobedy), um dos maiores memoriais da Rússia e do mundo dedicado aos mortos na 2.ª Guerra Mundial.

Jovenzinha, Angelina Pipper nasceu em 2000, mora hoje na cidade de Brest e já ganhou vários prêmios, tendo sido inclusive finalista do Festival de Sanremo Junior. Continua muito ativa e sempre se renovando, tendo começado há alguns meses seu trabalho com o nome “Jolya Pi”. Como redes sociais e canais completos, ela tem seu VK oficial, seu grupo no VK, seus Instagrams como Angelina e como Jolya Pi, seu site oficial com fotos, vídeos, áudios, biografia e notícias, seu canal antigo no YouTube e seu canal novo. Iulia Olegovna Kovalchuk (n. 1982; Iulia Chumakova, após se casar) é uma cantora e apresentadora de TV, tendo cantado na banda Blestiaschie de 2001 a 2008. Ela estudou ginástica e dança na infância e adolescência, e tem formação superior em artes. Ela também tem seu canal no YouTube, onde há vários outros vídeos recentes e links pras suas redes sociais.

Eu tirei a letra em russo do famoso site SovMusic.ru, de mídia soviética, e eu mesmo traduzi e legendei em português. No vídeo de Pipper, além da diferença quanto ao “samurai” (ela prefere “bando inimigo”), também se pode ouvir druzhnoiu semioi (harmoniosa família) ao invés de krepkoiu semioi (indissolúvel família), que por vezes se lê em outras versões, e ela não canta a penúltima estrofe. Kovalchuk, ao contrário, canta “samurais” ao invés de “bando inimigo”, mas também prefere a expressão druzhnoiu semioi, e outra diferença é que ela, sim, canta a penúltima estrofe. Seguem abaixo as legendagens, e depois a letra em russo e a tradução em português, com a indicação das diferenças entre os textos:




____________________


На границе тучи ходят хмуро,
Край суровый тишиной объят.
У высоких берегов Амура
Часовые Родины стоят.

Там врагу заслон поставлен прочный,
Там стоит, отважен и силён,
У границ земли дальневосточной
Броневой ударный батальон.

Там живут – и песня в том порука –
Нерушимой, дружною семьёй (*)
Три танкиста, три весёлых друга –
Экипаж машины боевой.

(*) Ou “крепкою семьёй”.


На траву легла роса густая,
Полегли туманы широки.
В эту ночь решила вражья стая (*)
Перейти границу у реки.

(*) Ou “В эту ночь решили самураи”.


Но разведка доложила точно –
И пошёл, командою взметён,
По родной земле дальневосточной
Броневой ударный батальон.

Мчались танки, ветер подымая,
Наступала грозная броня.
И летела наземь вражья стая (*)
Под напором стали и огня.

(*) Ou “И летели наземь самураи”.


И добили – песня в том порука –
Всех врагов в атаке огневой
Три танкиста, три весёлых друга –
Экипаж машины боевой.

____________________


Nuvens negras vão pela fronteira,
O confim sério está em silêncio.
Nas margens altas do rio Amur
Estão as sentinelas da Pátria.

Lá o inimigo acha forte barreira,
Lá se posta, intrépida e forte,
Na fronteira do Extremo Oriente,
O batalhão blindado de choque.

Lá vivem, como garante a canção,
Em sólida e harmoniosa família, (*)
Três tanquistas, amigos alegres,
Tripulação do tanque de guerra.

(*) Ou “indissolúvel família”.


Na relva havia um denso orvalho,
Baixou uma espessa neblina.
Esta noite quis o bando inimigo (*)
Atravessar a fronteira pelo rio.

(*) Ou “Esta noite os samurais decidiram”.


Mas os informantes relataram bem
E partiu, impelido por uma ordem,
Pela cara terra extremo-oriental
O batalhão blindado de choque.

Voaram os tanques, fazendo vento,
A temível blindagem fez ofensiva.
E o bando inimigo caiu por terra (*)
Sob a pressão do aço e do fogo.

(*) Ou “Os samurais desabaram por terra”.


Acabaram, como garante a canção,
Com os inimigos em fogo ofensivo
Três tanquistas, amigos alegres,
Tripulação do tanque de guerra.