Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 22 de março de 2017

Последняя электричка (O último trem)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/elektrichka



Há muito eu procurava esta canção na voz de Eduard Khil, o “Mr. Trololo”, mas não consegui achar no YouTube. Na busca, me deparei com um simpático moço russo tocando essa música, manuseando o acordeão como um velho mestre. Ele se chama Ievgeni Popov, e tem um canal exclusivo com apresentações públicas e caseiras, fazendo sob encomenda diversos tipos de shows em quaisquer ocasiões. A canção se chama “Последняя электричка” (Posledniaia elektrichka), O último trem elétrico, e fazendo referência aos trens urbanos tão usados por trabalhadores nas grandes cidades, foi composta em 1961 com letra de Mikhail Nozhkin e melodia de David Tukhmanov. Logo depois de tê-lo legendado, eu achei na internet um áudio com a gravação de Khil, e então fiz a montagem que também segue abaixo.

É familiar a vocês a relação entre trens noturnos e encontros amorosos? Pois então vocês conhecem o famoso samba brasileiro Trem das onze! Coincidentemente, o período em que o personagem russo deve partir gira em torno desse horário também, quando sai o “último trem” pro retorno à casa. Única diferença: ao que se sabe, o brasileiro não perdeu o trem, agora o russo perde todo dia! Elektrichka em russo indica o “trem elétrico”, ou seja, não os movidos a combustão, e que por isso são usados nas zonas urbanas, tipo CPTM em São Paulo. Na música, não se trata de metrô, pois não é subterrâneo. Pode-se se dizer em russo também “электропоезд” (elektropoiezd), literalmente “trem elétrico”, e ele é um tema recorrente da cultura, literatura e cantoria na Rússia. O escritor Iuri Piliar (1924-1987) também escreveu um romance de nome Posledniaia elektrichka, e a canção do vídeo também é tocada na comédia infantil (animação) soviética Vnimanie, cherepakha! (1970).

Notem ainda que, entre uma estrofe e outra, e no começo e no fim da música, o andamento animado, a onomatopeia e a altura reforçada executados (no caso do Popov) ou a melodia e o back vocal (no caso do Khil) lembram o barulho de um trem partindo, assim como a voz bradando no vazio, ao final da gravação do Khil, alude ao homem que lamenta a perda do trem.

Os autores da música ainda vivem. David Fiodorovich Tukhmanov (n. 1940) é um compositor e músico com formação clássica que foi premiado várias vezes e tem o título de Artista Popular da Federação Russa (2000). Entre suas incontáveis composições, que passam pelos gêneros art rock, pop e ópera, seu primeiro hit popular foi Posledniaia elektrichka, composto em 1961, quando ele ainda estava na faculdade, mas gravado apenas em 1966 pelo cantor Vladimir Makarov, a partir daí “bombando nas paradas”, como dizíamos. Mikhail Ivanovich Nozhkin (n. 1937), além de poeta e músico, também é ator de cinema e teatro, tendo recebido o título de Artista Popular da RSFS da Rússia em 1980. Muito condecorado, atuou em vários filmes, criticou várias vezes a perestroika e hoje apoia o KPRF (PC da Rússia).

Os russos talvez conheçam mais a gravação de Eduard Khil, que dizem ser em ritmo de twist (embora dum jeito bem soviético), mas o vídeo do jovem acordeonista Ievgeni Popov também ficou muito bom. Parece coincidência, mas ele se diz baianist, pois a “harmônica”, ou “acordeão de botões” (também “sanfona” ou “gaita” no Brasil), que ele está tocando se diz baian em russo, mas nada tem a ver com o ritmo “baião”, que vem do gentílico “baiano”, nome de uma dança antiga que inspirou o primeiro! Popov é um acordeonista profissional que dá shows na Rússia com ênfase na música folclórica e popular, podendo ser contratado em seu site pessoal, que não dá informações biográficas, mas fala sobre sua formação e prêmios. O vídeo original sem legendas está nesta página, e por razões de honestidade, visitem e se inscrevam no canal dele também!

Quanto a Eduard Anatolievich Khil (1934-2012), não preciso dizer muito, pois desde 2010, quando uma gravação sua de 1976 viralizou nas redes sociais, seu nome se tornou mais ou menos conhecido nos meios cults ocidentais e muita coisa pode ser achada sobre ele em várias línguas. A maior vantagem foi que descobrimos um grande cantor do passado, com uma linda voz e vastíssimo repertório, cujos similares russos e de países vizinhos raramente chegam até nós, tão bloqueados pela névoa pop e “enlatada”. Escutem, por exemplo, sua interpretação da celebérrima canção Dorogoi dlinnoiu, que na voz de Sergei Lazarev já postei aqui e é mais conhecida no Brasil por causa da abertura do antigo Show de Calouros. Pra quem sabe russo ou consegue se virar em sites estrangeiros, recomendo fortemente também o site oficial do barítono, fundado em 2004 e que, segundo consta, tem mais de 800 áudios, 30 vídeos e 100 fotos, afora os mais de 800 uploads relacionados a ele no YouTube.

Eu mesmo traduzi a letra em russo e fiz as legendas, tendo também montado o vídeo, no caso do Khil, cujo áudio MP3 eu baixei deste site. Está nesta página a letra completa da música, que Popov toca e canta, e Khil omite apenas a terceira estrofe, mas o resto é tudo igual, sem alterações. Seguem abaixo os vídeos de Popov e de Khil, postados no meu canal O Eslavo no YouTube, a letra em russo e a tradução:




____________________


Как всегда мы до ночи стояли с тобой
Как всегда было этого мало
Как всегда позвала тебя мама домой
Я метнулся к вокзалу
Опять от меня сбежала последняя электричка
И я по шпалам опять по шпалам
Иду домой по привычке

А вокруг тишина а вокруг ни души
Только рельсы усталые стонут
Только месяц за мною вдогонку бежит
Мой товарищ бессонный
Опять от меня сбежала последняя электричка
И я по шпалам опять по шпалам
Иду домой по привычке

Уж восток не спеша начинает гореть
Завтра рано вставать на работу
Только хочется петь, и бежать, и лететь
Только спать неохота
Опять от меня сбежала последняя электричка
И я по шпалам опять по шпалам
Иду домой по привычке

Ни унять ни понять мною радость мою
Так вот каждую ночь коротаю
Завтра снова с любимой до звезд простою
И опять опоздаю
Не жди ты меня пожалуй последняя электричка
Уж я по шпалам опять по шпалам
Пойду домой по привычке

____________________


Como sempre, fiquei até a noite com você
Como sempre, foi pouco tempo
Como sempre, sua mãe te chamou pra casa
E eu voei pra estação
De novo me escapou o último trem elétrico
E andando de novo pelos dormentes
Pra variar, eu vou pra casa

Silêncio ao redor, ninguém ao redor
Só os trilhos cansados gemendo
Somente a Lua corre ao meu encalço
Minha camarada insone
De novo me escapou o último trem elétrico
E andando de novo pelos dormentes
Pra variar, eu vou pra casa

Logo a aurora sem pressa começa a raiar
Amanhã cedo tenho que trabalhar
Minha vontade era de cantar, correr, voar
E não de ter que dormir
De novo me escapou o último trem elétrico
E andando de novo pelos dormentes
Pra variar, eu vou pra casa

Não posso conter ou entender minha alegria
É assim que passo todas as noites
Amanhã de novo com a amada até anoitecer
E me atraso de novo
Não precisa me esperar, último trem elétrico
Pois andando de novo pelos dormentes
Pra variar, eu vou pra casa