Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 28 de agosto de 2016

Desfiles de Primeiro de Maio na URSS


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/pervomai


Assistindo a estes dois vídeos, podemos comparar como eram as comemorações do Primeiro de Maio, o Dia do Trabalho (que os russos nomeiam com uma palavra só, Pervomai), naquela que chamava a si mesma de “pátria dos trabalhadores”, a União Soviética, em dois momentos históricos muito diferentes. O primeiro é a cobertura especial, feita pelo próprio governo, do desfile e comemorações pela data em 1950, no ápice do regime de Iosif Stalin; um documento histórico de primeira ordem, com imagens raras de uma época que ainda nos resta entender profundamente. O segundo traz os principais momentos do desfile e comemorações em 1983, em transmissão feita pela televisão estatal soviética, mas que eu retirei de uma reportagem televisiva da Rússia atual, a respeito da data. Tanto o vídeo de 1950 quanto o vídeo de 1983 estão no YouTube, onde também postei no meu canal O Eslavo suas versões legendadas.

Em 1950, o regime chegava ao apogeu porque depois da devastação da Segunda Guerra, a União Soviética estava sendo reconstruída, com os trunfos de ter ascendido à condição de superpotência ao lado dos EUA e de ter sido a principal responsável pela derrota dos nazistas alemães. Stalin governava absoluto desde 1924, e sem contestações desde 1929, e nem mesmo as transformações democráticas no resto do mundo haviam abalado seu domínio e as estruturas do bloco de países socialistas criado na antiga zona de ocupação europeia do Eixo. No período chamado pelos historiadores de “alto stalinismo” (ente 1945 e 1953), o Estado ameaçava com novas ondas de perseguições, mas a propaganda oficial passava ao estrangeiro a imagem de um país estável e desburocratizado.

Apesar do clima sombrio que ainda reinava antes do “degelo”, é certo que boa parte da população, especialmente os operários que viveram o flagelo da guerra e até pegaram a época bem menos próspera do tsarismo, sentiam como um progresso aquilo que havia sido construído, uma conquista que se traduzia em ver a classe operária como tema central do poder, embora ela não fosse a real governante.




1983 é outro momento muito importante na história da União Soviética. No ano anterior havia morrido Leonid Brezhnev, um de seus líderes mais duradouros, e governava o frágil Iuri Andropov, que nem aparece nas filmagens. O país estava vivendo o início de sua terrível crise econômica e descrédito internacional, e já durava quatro anos a guerra no Afeganistão. Mesmo assim, a festa de Primeiro de Maio, ao lado do aniversário da Revolução Bolchevique (7 de novembro), permaneceu como data central do calendário celebrativo soviético. Era uma forma de prolongar na memória as antigas lutas operárias socialistas, das quais a própria “pátria dos trabalhadores” não podia se esquecer.

Como se deve ter deduzido, o repórter de rua menciona a ilha Sacalina e a península de Kamchatka para se referir ao extremo oriental da URSS, onde o sol nasce primeiro. Infelizmente, não consegui encontrar a música que toca em boa parte do vídeo: provavelmente deve ter sido composta especialmente para a ocasião, e por isso talvez não figure em letra e áudio nos grandes acervos virtuais.