Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

27 de abril de 2019

Chegada da TV a cores na França, 1967


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/tv-franca




Como curiosidade histórica, estou trazendo o momento exato em que começou a ser emitido o sinal da televisão a cores na França, no dia 1.º de outubro de 1967. Era então o governo do general Charles de Gaulle, que como todo bom nacionalista, fez com que fosse adotado o sistema SECAM (séquentiel couleur à mémoire), criado no próprio país. Este vídeo, com 9 minutos no total, compõe os arquivos da INA.

O gaullista Georges Gorce, ministro da Informação (cargo suprimido em 1968 e novamente em 1974), fala ao público junto com Jacques Bernard Dupont, diretor-geral da ORTF (Escritório de Radiodifusão e Televisão Francesa), Claude Mercier, diretor de equipamentos, e Émile Biasini, diretor da televisão. “Et voici la couleur !” (E aqui está a cor!), ele começa, com a frase que se tornaria famosa na cultura popular. E como ele diz, logo a imagem a cores deixaria de ser fascinante, mas pede que todos se deem conta do enorme passo dado.

Mas a transição demorou. Enquanto os EUA já tinham começado a transmitir em cores em 1954, a França tinha então apenas um canal de TV que transmitia desde 1935 no formato preto e branco de 819 linhas, tamanho aí predominante dos aparelhos. O sistema americano de coloração era o NTSC, e na Europa se expandia o sistema alemão PAL, ambos em 625 linhas, que não podiam ser lidos pelos televisores de 819. Pra piorar, a França adotou sozinha o sistema SECAM, considerado mais nítido, pra emissão a cores, concebido por Henri de France em 819 linhas.

Pra favorecer o intercâmbio com a Europa e tendo em vista a transição pra TV a cores, foi lançado em 1964 o Canal 2 na França, transmitindo em 625 linhas sem cores. Em seguida, começou dentro da ORTF uma queda de braço, enquanto os fabricantes de televisores resistiam a abandonar o preto e branco, cujo mercado ainda estava longe da saturação. Finalmente, foi marcada pra 1.º de outubro de 1967, às 14h15min (hora de Paris), a primeira transmissão colorida a partir do estúdio 13 de Buttes-Chaumont do Canal 2. Como se pode notar, ante o bizarro cenário montado, a inauguração nada teve de festiva, numa gravidade que dispensou até jornalistas.

Apenas 1500 lares tinham então uma TV a cores, ainda considerada uma aquisição de elite, e por isso o Canal 1 continuou transmitindo em preto e branco de 819 linhas, enquanto o Canal 2 apenas a cores. Em 1972 a França inaugurou seu novo canal a cores C3, enquanto o Canal 1 (TF1 desde 1975) só começará a se colorir e a modernizar aos poucos sua rede emissora em 1976, com a transição completada e o fim definitivo das 819 linhas em 1983. Com o advento da TV digital, também o sistema SECAM de cores se tornou obsoleto.

Eu tirei essas informações de um blog francês, um pouco abandonado, sobre a história da TV no país, e de uma matéria do jornal La Croix sobre os 50 anos dessa primeira transmissão a cores. Eu mesmo traduzi, legendei e fiz os cortes no vídeo, e seguem abaixo o resultado que postei na TV Eslavo (YouTube), o texto do ministro Gorce em francês e a tradução em português:



Et voici la couleur, au jour fixé et à l’heure dite. Mesdames, Mesdemoiselles, Messieurs, vous qui maintenant nous voyez tels que nous sommes, vous cesserez très vite, je le sais bien, d’être sensibles à la magie de la chose. Et vous trouverez bientôt tout à fait naturel de voir la vie avec ses couleurs envahir vos écrans. Je voudrais tout de même vous demander au moins en ce premier jour de considérer qu’il s’agit là d’un tour de force technique et d’une petite révolution.

E aqui está a cor, no dia fixado e na hora dita. Senhoras e senhores, vocês que estão nos vendo agora tal como somos, muito em breve vão deixar, eu bem sei, de se encantar com a magia desse recurso. E logo vão achar totalmente natural ver a vida e suas cores invadirem suas telas. Mesmo assim, eu gostaria de pedir que vocês, ao menos neste primeiro dia, se dessem conta de que estamos diante de uma proeza técnica e de uma pequena revolução.