Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

25 de janeiro de 2015

John Kerry lamenta “Charlie Hebdo” em francês


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/kerry


No dia 7 de janeiro de 2015, o Secretário de Estado dos EUA John Kerry deu uma entrevista condenando o ataque armado de extremistas ao jornal satírico francês Charlie Hebdo, ocorrido no mesmo dia. Na ocasião, Kerry falou em francês por pouco mais de dois minutos, solidário com o luto dos franceses e proclamando fé na invencibilidade da liberdade de expressão. Na ocasião, o Ministro das Relações Exteriores polonês Grzegorz Schetyna visitava o Departamento de Estado norte-americano para tratar de assuntos estratégicos, por isso a bandeira da Polônia ao fundo, junto com a dos EUA.

Traduzi e legendei o vídeo da mensagem em caráter experimental, testando novas opções de design nas legendas e novas ferramentas de conversão de vídeos. O vídeo original foi baixado do canal YouTube do Departamento de Estado norte-americano e pode ser assistido nesta página. Abaixo, além da transcrição do texto em francês e da tradução em português (sem traços de oralidade e com erros de francês corrigidos), está também o próprio vídeo legendado, postado no meu canal O Eslavo no YouTube, no qual, é claro, sempre são feitas as necessárias adaptações a esse tipo de mídia:


____________________


Je veux m’adresser directement aux Parisiens et à tous les Français pour leur dire que tous les Américains se tiennent à leur côté, non seulement dans l’horreur, la colère et la condamnation de ce terrible acte de violence, mais que nous sommes également solidaires de votre engagement dans la bataille, la lutte contre l’extrémisme et de votre détermination à protéger la valeur qui fait si peur à l’extrémisme et qui a toujours uni nos deux pays : la liberté, c’est ça. Aucun pays ne sait mieux que la France que la liberté a un prix, parce que c’est en France que de nombreux idéaux démocratiques ont vu le jour. La liberté d’expression et la liberté de la presse sont des valeurs fondamentales, universelles. Il arrive que ces principes soient attaqués, mais jamais il ne pourront être éradiqués, parce que partout dans le monde des hommes et des femmes se dresseront toujours avec courage contre l’intimidation et la terreur qui voudraient reprendre ceux qui cherchent, et les détruire. Je suis d’accord avec l’imam de France, qui a dit aujourd’hui que les journalistes assassinés sont des « martyres de la liberté ». Les assassins ont proclamé aujourd’hui que « Charlie Hebdo est mort ». Soyez sûrs d’une chose : ils ont tort. Aujourd’hui, demain, à Paris, en France et à travers le monde, le pouvoir de la liberté d’expression vaincra dans la lutte contre l’obscurantisme.

____________________


Quero me dirigir diretamente aos parisienses e a todos os franceses para lhes dizer que todos os americanos estão do seu lado, não somente no horror, na raiva e na condenação deste terrível ato de violência, mas também na solidariedade ao seu empenho na batalha, na luta contra o extremismo e à sua determinação em proteger o valor que dá tanto medo ao extremismo e que sempre uniu nossos dois países: é a liberdade. Nenhum país sabe melhor que a França que a liberdade tem um preço, pois foi aí que nasceram inúmeros ideais democráticos. A liberdade de expressão e a liberdade de imprensa são valores fundamentais, universais. Esses princípios podem ser atacados, mas nunca poderão ser erradicados, pois no mundo inteiro homens e mulheres sempre se oporão com coragem à intimidação e ao terror dos que desejarem censurar e destruir aqueles que investigam. Concordo com o imã da França, que disse hoje que os jornalistas assassinados são “mártires da liberdade”. Os assassinos proclamaram hoje que “o Charlie Hebdo está morto”. Estejam certos de uma coisa: eles se enganam. Hoje e amanhã, em Paris, na França e através do mundo, o poder da liberdade de expressão vencerá a luta contra o obscurantismo.