Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 14 de fevereiro de 2016

A despedida da eslava (versão 3)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/slavianka3


Finalmente legendei a Slavianka da Guerra Pátria que me pediam há anos. Este é o terceiro e último vídeo da série de versões da bela e popular canção russa “Прощание славянки” (Proschanie slavianki), A despedida da eslava ou O adeus da mulher eslava. Esta deve ser a versão mais conhecida, que fala da Segunda Guerra Mundial, mas a letra foi escrita, na verdade, em 1965 por Arkadi Iakovlevich Fedotov, ex-operário multifunção ainda vivo que também fazia música e poesia.

Resumo algumas informações já expostas na primeira postagem. Ela se refere à Primeira Guerra Balcânica (1912-13) do Império Otomano contra Bulgária, Grécia, Montenegro e Sérvia, a favor dos quais lutaram voluntários russos animados por marcha de autoria de Vasili Ivanovich Agapkin (1884-1964), que pensava num combate da cristandade ortodoxa às agressões islâmicas. As várias letras existentes se tornaram patrimônio russo e soviético, jamais censurado na URSS. Postei também uma segunda versão da canção.

Fedotov nasceu em Kyiv em 1930, e ao mesmo tempo em que trabalhava em fábricas como torneiro, motorista e outras funções, compunha melodias e escrevia versos. Ele ouviu a marcha Proschanie slavianki pela primeira vez aos 11 anos, na parada de 7 de novembro de 1941, e finalmente escreveu sua letra em 1965, remetendo à 2.ª Guerra Mundial. A publicação se deu em 1967 e a gravação em disco, com grande tiragem, em 1974, e a partir daí a canção correu o mundo. Denis Sedykh escreveu um raro artigo em russo sobre Fedotov, pois nem na Wikipédia russa há informações.

A apresentação no vídeo é de 2013, pelo Conjunto Aleksandrov do Exército Russo, também conhecido como Coral do Exército Vermelho, fundado em 1928 pelo compositor, maestro e pedagogo Aleksandr Aleksandrov (que compôs a melodia do hino da URSS e agora da Rússia). Além do coral e orquestra, ele tem também uma equipe de dançarinos. O vídeo sem legendas é do canal de Aleksandr Lifanov, onde há ainda mais vídeos do coral. A mesma letra tem alguns versos diferentes conforme a fonte, e por isso, além do vídeo legendado no meu canal O Eslavo no YouTube logo abaixo, indico no rodapé, junto com as letras em russo e português, os versos não cantados no áudio:


____________________


Этот марш не смолкал на перронах,
Когда враг заслонял горизонт.
С ним отцов наших в дымных вагонах
Поезда увозили на фронт.

Он Москву отстоял в сорок первом, (*)
В сорок пятом шагал на Берлин.
Он с солдатом прошёл до Победы (**)
По дорогам нелёгких годин.

(*) Он в семнадцатом брал с нами Зимний,
(**) Поднималась с ним в бой вся Россия


И если в поход
Страна позовёт
За край наш родной
Мы все пойдём на смертный бой!

И если в поход
Страна позовёт
За край наш родной
Мы все пойдём на смертный бой!
В священный бой!!!

Шумят в полях хлеба.
Шагает Отчизна моя
К высотам счастья,
Сквозь все ненастья —
Дорогой мира и труда.
К высотам счастья,
Сквозь все ненастья —
Дорогой мира и труда.

И если в поход
Страна позовёт
За край наш родной
Мы все пойдём на смертный бой!
В священный бой!!!

____________________


Esta marcha não se calou nas plataformas
Enquanto o inimigo cobria o horizonte.
Com ela os trens levaram ao front
Nossos pais em vagões fumacentos.

Ela defendeu Moscou em 41 (*)
Em 45 ela marchou para Berlim.
Ela correu com o soldado até a Vitória (**)
Pelas trilhas de anos difíceis.

(*) Em 17 tomamos com ela o Palácio de Inverno,
(**) Com ela toda a Rússia se levantou à luta


E se para a marcha
O país nos chamar
Por nosso torrão natal
Todos nós iremos à luta de morte!

E se para a marcha
O país nos chamar
Por nosso torrão natal
Todos nós iremos à luta de morte!
À luta sagrada!

O trigo farfalha nos campos.
Minha Pátria vai marchando
Rumo às alturas venturosas,
Por entre todas as intempéries,
Pelo caminho da paz e trabalho.
Rumo às alturas venturosas,
Por entre todas as intempéries,
Pelo caminho da paz e trabalho.

E se para a marcha
O país nos chamar
Por nosso torrão natal
Todos nós iremos à luta de morte!
À luta sagrada!