Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

09 setembro 2021

Mohammed Assaf – “Dammi falastini”


Link curto pra esta postagem : fishuk.cc/falastini




Dia 14 de maio é a data em que os judeus comemoram a fundação do Estado de Israel, mas em que os árabes palestinos lembram o que consideram o início de seu desalojamento. E no dia 15, os palestinos também recordam a impulsão de seu exílio ao Líbano, Jordânia, Síria, Egito e outras nações, sem concordar com a decisão da ONU de 1948 que transformou o mandato britânico na Palestina na divisão em um Estado judeu e outro árabe.

Nos mesmos dias, mas em 2021, o conflito local teve a pior explosão desde 2014, com forte radicalização dos judeus de extrema-direita, instigados pelo primeiro-ministro Binyamin Netanyahu. Como sempre, a motivação teve a ver com o que os muçulmanos chamam de “provocações” judaicas na área da mesquita de Al-Aqsa, mas soma-se ainda a construção de novos assentamentos hebraicos na Cisjordânia. Aquela violência tinha sido uma ocasião propícia pra eu lançar uma tradução que já pretendia fazer há algum tempo: a canção em dabke, ritmo popular no Mediterrâneo oriental, Meu sangue é palestino (Dammi Falastini/دمي فلسطيني), gravada por Mohammed Assaf em 2015.

Este clipe, porém, é de 2016 e foi filmado no Colégio Católico das Irmãs do Rosário, localizado na parte árabe de Jerusalém, capital de Israel. Não existe uma correlação exata entre “árabes/palestinos muçulmanos” e “israelenses judeus”, pois muitos árabes são cristãos e muitos judeus étnicos são cristãos ou não religiosos, enquanto além dos árabes com cidadania israelense, há também muitos judeus críticos do sionismo e do Estado de Israel como um todo. Eu mesmo legendei o vídeo que pode ser encontrado sem legendas no canal do Studio Sami, que o produziu.

Como ainda estou aprendendo árabe, por isso não me sentindo apto a fazer traduções diretas, eu traduzi a partir de uma versão em inglês dada por “Sara Ba”, que se diz falante de inglês fluente. Apenas algumas palavras árabes submeti individualmente na Wikipédia ou no Wiktionary, como “Al-Quds” (القدس), que não foi traduzida, mas é o nome árabe de Jerusalém, literalmente “o sagrado”. Não confundir com Al-Aqsa, que é a principal mesquita da capital, quase pegada ao Muro das Lamentações judeu e um dos maiores pontos de discórdia. Descobri que acabei não sincronizando alguns trechos conforme o significado, mas decidi não mudar porque também ficou bom.


امتنع:
على عهدي على ديني
على أرضي تلاقيني
أنا لأهلي أنا أفديهم
أنا دمي فلسطيني فلسطيني فلسطيني
أنا دمي فلسطيني

وقفنالك يا ديرتنا
بعزتنا وعروبتنا
أرض القدس نادتنا
صوت أمي يناديني
فلسطيني فلسطيني
أنا دمي فلسطيني

(امتنع)

يا يمّة ابشري بالعز
دارك قلعة ما تنهز
عليها الروح ما تنعز
ولا دمّي وشراييني
فلسطيني فلسطيني
أنا دمي فلسطيني

(امتنع)

فلسطيني وابن احرار
جبيني بالسما ومغوار
على عهد الوفا يا دار
وعمره ما انحنى جبيني
فلسطيني فلسطيني
أنا دمي فلسطيني

(امتنع)

____________________

Refrão:
Mantendo meu juramento, seguindo minha religião
Você vai me encontrar na minha terra
Pertenço ao meu povo, sacrifico minha alma por ele
Meu sangue é palestino, palestino, palestino
Meu sangue é palestino

1. Temos protegido você, nossa terra natal
Com nosso orgulho e arabismo
A terra de Jerusalém nos chamou
Como a voz de minha mãe me chamando
Palestino, palestino
Meu sangue é palestino

(Refrão)

2. Oh, minha mãe, não se preocupe,
Sua terra natal é um castelo fortificado
Pelo qual eu sacrifico minha alma
E meu sangue, e minhas veias
Palestino, palestino
Meu sangue é palestino

(Refrão)

3. Sou palestino, filho de uma família livre
Sou corajoso e sempre tenho a cabeça erguida
Estou mantendo meu juramento por você, minha pátria
E eu nunca me curvei a ninguém
Palestino, palestino
Meu sangue é palestino

(Refrão)