Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

29 de abril de 2019

Irena Santor: “Tobie nic do tego” (1970)


Link curto para esta postagem: fishuk.cc/tobienic




Enfim uma canção inteira traduzida diretamente do polonês: esse é um déficit que pretendo sanar gradualmente, pois sei que devo muito aos admiradores da Polônia e descendentes de poloneses no Brasil. Hoje temos a cantora polonesa Irena Santor, considerada a “rainha da canção polonesa”, com uma música gravada em 1970, Tobie nic do tego (Não é da sua conta), com letra de Zbigniew Stawecki e melodia de Ryszard Sielicki. Eu mesmo traduzi direto do polonês, montei o vídeo e legendei, tendo tirado o áudio desta página.

Esta canção apareceu duas vezes em álbuns de Santor: no disco LP Dla ciebie śpiewa Irena Santor (Irena Santor canta pra você), daquele mesmo ano, e no CD Moje piosenki vol. 10 (Minhas canções vol. 10), lançado em 1999. Percebam que a letra é um verdadeiro trava-língua, num idioma que por si mesmo já é um trava-língua pra maioria dos estrangeiros! Há muitas repetições de palavras e encavalamento de consoantes, sobretudo palatais, somados ainda a um ritmo dançante. Tudo isso junto dá o sabor da música, que por isso decidi traduzir.

Os anos 70 seriam considerados na Polônia comunista como uma espécie de “era de ouro”, quando após pequenas reformas sob o governo de Edward Gierek, a vida do povo melhorou razoavelmente. Temas como o dessa canção (a futilidade dos amores e a brevidade dos relacionamentos) desafiavam tanto o senso comum católico quanto o puritanismo pró-soviético, e Irena Santor soube muito bem quebrar todos esses padrões, virando uma “diva” em seu país. Nessa década, apesar da constante censura, a cultura polonesa, em especial a música, não deixou de prosperar e viveu momentos marcantes.

Irena Wiśniewska-Santor nasceu em 1934 e é uma cantora, atriz e estrela de musicais em atividade desde 1949. Conhecida por sua límpida voz de mezzo-soprano, sendo por isso uma referência aos mais jovens, começou sua carreira como solista do famoso grupo folclórico Mazowsze, e assim começou a viajar pelo mundo e ganhar prêmios. Estreou como atriz em 1968, apareceu em muitos shows de rádio e TV, foi jurada de programas de talentos e gravou trilhas até pra filmes soviéticos. Em 2017, por seu pioneirismo no país, recebeu um doutorado honoris causa pela Academia de Música de Łódź. Foi casada duas vezes, mas não teve filhos.

Assistam ao vídeo duas vezes, lendo uma legenda de cada vez, mesmo a polonesa, se puderem! Seguem abaixo minha legendagem, que postei na TV Eslavo (YouTube), a letra em polonês, que copiei deste ótimo site de canções da Polônia, e a tradução em português:



Taki zły – no i co, no i co?
Na próżno tracisz czas.
Lubię cię – no i to, tylko to
Co łączy dwoje nas.
Tobie nic, tobie nic, tobie nic do tego,
Bo czy ja mam, czy ja mam innego
To już moja sprawa.

Widzisz sam, że to tak w życiu jest
Nie zawsze, jak się chce.
Niby już, niby tak, niby chcesz,
A serce mówi “nie”.
No i już, no i już, no i już po tobie
Że trochę żal? No to nic – więc odejdź,
Nie myśl o mnie źle.

Lecz bez reszty nie wierz w to,
Czasem mówię byle co,
A znaczy to, znaczy to na opak,
I nie bądź zły, nie bądź zły, bo chłopak
Musi klasę mieć.

Może trochę zwodzę cię,
Bardzo lubię taką grę.
A tobie nic, tobie nic do tego,
Bo jeśli w tym, jeśli w tym coś złego
Nic już nie mów mi.

Przyjdzie ktoś – no to co, no to co?
Niewiele każdy wart.
W kilka dni pryśnie czar niby szkło
Lub kruchy domek z kart.
No i znów, no i znów, no i znów od nowa,
Znów uczyć się nowych słów, całować
I przysięgi łamać.

Ja to znam, ja to znam, ja to znam,
Widziałam już nie raz,
Po co nam, po co nam, po co nam
Marnować cenny czas?
Lepiej idź, lepiej idź, lepiej idź do innej,
Tak różne są, różne są dziewczyny,
Któraś weźmie cię.

Lecz bez reszty nie wierz w to,
Czasem mówię byle co,
A znaczy to, znaczy to na opak,
I nie bądź zły, nie bądź zły, bo chłopak
Musi klasę mieć.

Może trochę zwodzę cię,
Bardzo lubię taką grę.
A tobie nic, tobie nic do tego,
Bo jeśli w tym, jeśli w tym coś złego
Nic już nie mów mi.

Czy ja mam, kogoś mam, kogoś mam
Koniecznie wiedzieć chcesz,
Powiem ci: wielu znam, wielu znam,
Sam zresztą o tym wiesz.
Tobie nic, tobie nic, tobie nic do tego:
Jak można mieć, można mieć jednego,
Kiedy tylu wokół?

Takiś ty – słyszysz mnie jeden raz
I zaraz burzysz most.
Zdradzę ci, zdradzę ci: żadna z nas
Nie lubi mówić wprost.
Powiem ci, powiem ci, powiem ci do tego,
Że ciebie chcę, ciebie chcę jednego,
Tylko ciebie chcę
Tylko ciebie chcę...

____________________


Tão mau, mas e daí, e daí?
Está perdendo tempo à toa.
Eu te amo, mas é só isso
Que ainda une nós dois.
Isso não é, não é, não é da sua conta,
Pois se eu tenho, se eu tenho outro
Já é um assunto meu.

Você vê que na vida nem sempre
Isso corre como se quer.
Parece que você ainda quer, sim,
Mas seu coração diz não.
Mas ainda, ainda, ainda um pouco
Sofro por você? Nada disso, então vá,
Não pense mal de mim.

Mas nem sempre acredite no que
Eu falo às vezes e que
Quer dizer, quer dizer o contrário,
E não seja mau, seja mau, pois um cara
Deve manter a pose.

Talvez eu te iluda um pouco,
Gosto muito de jogar assim.
E isso não é, não é da sua conta,
Pois se nisso, se nisso há algo ruim
Nem fale nada para mim.

Alguém vai chegar, e daí, e daí?
Todos merecem um pouco.
Em dias o encanto quebra como copo
Ou frágil casinha de papel.
Mas de novo, de novo, de novo do zero
De novo aprender novas palavras, beijar
E quebrar juras de amor.

Eu sei disso, sei disso, sei disso,
Já percebi várias vezes,
Para que perder, perder, perder
Nosso precioso tempo?
Melhor você, você, você procurar outra,
Há tantas, há tantas garotas diferentes,
Uma delas vai escolher você.

Mas nem sempre acredite no que
Eu falo às vezes e que
Quer dizer, quer dizer o contrário,
E não seja, não seja mau, pois um cara
Deve manter a pose.

Talvez eu te iluda um pouco,
Gosto muito de jogar assim.
E isso não é, não é da sua conta,
Pois se nisso, se nisso há algo ruim
Nem fale nada para mim.

Se eu tenho, tenho, tenho alguém
Você quer realmente saber?
Vou dizer: conheço, conheço muitos,
De todo jeito você sabe disso.
Isso não é, não é, não é da sua conta:
Como se pode ter, pode ter alguém
Com tantos em volta?

Você é assim: me escuta uma vez
E logo quebra a ponte.
Vou te decepcionar: nenhuma de nós
Gosta de falar claramente,
Mas vou te falar, te falar, te falar na cara
Que é só você, só você que quero,
Só você que quero,
Só você que quero...